4 erros comuns na compra do primeiro apartamento e como evitá-los!

8 erros comuns na compra do primeiro apartamento e como evitá-los!

A aquisição de um imóvel é algo muito positivo na vida de qualquer pessoa. No entanto, se a escolha não for muito bem-feita e condizente com as necessidades e expectativas dos futuros moradores, isso pode virar uma grande dor de cabeça no futuro.

Existem diversos fatores que precisam ser considerados antes de tomar uma decisão e fazer uma proposta efetiva. Diante dessa realidade, é essencial evitar os erros comuns na compra do primeiro apartamento. Quer descobrir o que você não pode fazer nesse momento? Então, confira os 4 erros mais comuns para evitar na compra do primeiro apartamento!

1. Comprar por impulso

Certamente, a aquisição do primeiro apartamento faz aflorar diversas emoções nos compradores. Afinal, é uma transação que possui um valor muito elevado e significa muito mais segurança e tranquilidade por anos ou até mesmo décadas. Porém, esse é um momento no qual as pessoas precisam ser racionais e ponderadas.

Comprar por impulso é um erro muito comum, mas, que deve ser evitado a todo custo. Os corretores podem ser bem persuasivos e não é raro que utilizem técnicas de vendas, como a criação de senso de urgência e argumentação. Por isso, não se afobe, analise bem a propriedade e só faça uma proposta quando tiver certeza.

2. Visitar o local apenas uma vez

Outro erro comum na compra do primeiro apartamento é visitar o local apenas uma vez, se encantar com o imóvel e finalizar a negociação. Isso porque você só conhecerá de verdade as vantagens e problemas de um prédio ou do próprio bairro se for até em dias e, até mesmo, em horários diferentes.

O ideal é conversar com os moradores e o síndico para entender se você se encaixa no perfil da região. Visitar o local dia e à noite, bem como no final de semana, também dá uma perspectiva mais fidedigna de fatores como a segurança, o trânsito, o policiamento, a movimentação e o comércio.

3. Não pesquisar sobre financiamentos

Muitas pessoas acham que entendem tudo de financiamento, pois já viram amigos ou parentes comprando imóveis por meio dessa modalidade. Porém, na medida em que o mercado imobiliário vai crescendo e se diversificando, o número de alternativas de crédito para esse tipo de aquisição também aumenta.

Diante desse contexto, é essencial que você pesquise muito bem quais são as opções disponíveis e evite a tentação de embarcar no primeiro negócio que parecer vantajoso ou interessante. Faça simulações, compreenda os riscos, analise os benefícios e faça a melhor escolha para o seu bolso e para sua família.

4. Ignorar os gastos extras

Ignorar os gastos extras também é um erro comum na compra do primeiro apartamento. É preciso ter consciência de que, muito além da entrada e das prestações, existem alguns gastos bem consideráveis que incidem esporadicamente sobre os futuros proprietários. Ignorá-los, portanto, é o primeiro passo para arruinar seu orçamento.

A taxa de condomínio é uma delas — e não costuma ser barata, sobretudo nos grandes centros urbanos do país. Além disso, existem as tarifas com a documentação para legalizar a transferência, como até mesmo a corretagem. Se você quiser mobiliar ou decorar sua nova aquisição, considere também essa despesa.

5. Não fazer uma vistoria minuciosa

Você certamente já deve ter ouvido falar sobre a importância de se fazer uma boa vistoria antes de comprar (ou até mesmo de alugar) qualquer imóvel, não é mesmo? Pois, acredite, essa etapa é realmente fundamental para não cair em “furadas” e, principalmente, para reduzir as chances de ter uma bela dor de cabeça no futuro.

Por isso, tenha olhos atentos quanto às condições da propriedade e verifique alguns itens antes de assinar o contrato. A parte elétrica merece atenção especial, especialmente se a casa ou apartamento forem mais antigos. Veja se todas as tomadas funcionam e observe a presença de fuligem ou pontos que não estejam funcionando.

O mesmo vale para o sistema hidráulico. Foque em banheiros, área de serviço e na cozinha, buscando pontos de vazamento, infiltração e mofo. Problemas no encanamento podem custar um bom dinheiro em reformas. Já os pisos soltos, pintura descascando e dobradiças rangendo são questões menores e que podem ser negociadas.

6. Procurar um imóvel em qualquer lugar

Sair do aluguel é um passo importante e muito vantajoso na vida de qualquer pessoa, mas, não é por isso que essa decisão possa ser tomada de qualquer maneira. Muitas vezes, na ânsia de conquistar essa meta, a busca por uma propriedade pode ser feita com pressa e isso aumenta (e muito) as chances de fazer uma escolha errada.

Com um pouco de calma e estratégia nessa procura, é possível descobrir ótimas unidades com preços acessíveis, mas não caia na tentação de escolher qualquer bairro: procure uma região que atenda às suas necessidades e não fique longe de tudo o que você precisa para viver, como lojas, restaurantes, mercados e serviços essenciais.

7. Não ter um planejamento financeiro posterior

Muita gente faz um bom planejamento financeiro para comprar um apartamento, mas se esquece que os gastos posteriores também têm um impacto importante no orçamento. Ter um imóvel ajuda a economizar no aluguel, entretanto, sua manutenção também gera gastos além das parcelas para sua aquisição.

Sendo assim, é muito interessante fazer as contas e verificar se sobrarão recursos suficientes para que você consiga manter a sua rotina natural sem que isso comprometa toda a sua renda. Como dissemos, haja com cuidado e procure não fazer nenhuma loucura para comprar sua casa nova.

8. Esquecer das taxas e dos impostos

Uma vez que fica clara a importância de um planejamento financeiro posterior à compra do seu imóvel, é hora de se lembrar que, sobre qualquer propriedade no Brasil, incidem taxas e impostos nada desprezíveis. Além do valor que você pagou de entrada ou das parcelas do financiamento, será necessário arcar com essa série de custos.

Em unidades já construídas, ao finalizar a compra, há o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis). Também não dá para não lembrar do famigerado IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), que pode ser bem substancioso nas grandes cidades. Já empreendimentos ainda na planta, existem algumas demandas legais específicas, como escritura, registro e o ITBI.

Agora que você está preparado para evitar erros na compra do seu primeiro apartamento, que tal aprender um pouco mais sobre o mercado imobiliário e tudo que envolve esse universo? Para isso, não deixe de assinar gratuitamente a nossa newsletter e receber artigos como este!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

4 comentários em “8 erros comuns na compra do primeiro apartamento e como evitá-los!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *