Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

6 dicas para fazer controle financeiro pessoal

6 dicas para fazer controle financeiro pessoal

O controle financeiro pessoal é a ferramenta de maior relevância para que você possa lidar da melhor forma possível com seu dinheiro. Mas, afinal, o que é controle financeiro pessoal? Bom, ele é baseado em uma ótima educação financeira. Infelizmente, a falta dessa educação na maioria das famílias brasileiras é a razão pela qual grande parte da população passa por vários problemas ligados às suas finanças.

Podemos dizer que o controle financeiro pessoal trata-se da maneira mais básica de cuidar dos recursos financeiros. Ao administrar bem as finanças, é possível ficar bem ciente das despesas e receitas e também de vários outros aspectos financeiros.

Além do mais, surge a oportunidade de multiplicar o dinheiro. Ficou interessado e quer saber como fazer controle financeiro pessoal? Então, continue a leitura do texto para conhecer as melhores dicas! Boa leitura!

1. Entenda o quanto você ganha e o quanto gasta

Para ter um controle financeiro pessoal eficiente e de qualidade, o ideal é que, antes de tudo, você conheça quais são todos os seus ganhos e os seus gastos. Por que isso é tão necessário? Porque nem sempre as pessoas têm ideia do quanto recebem ou do quanto o seu salário já está comprometido no mês. Isso causa muitos problemas e leva a várias dívidas.

Um grande erro é pensar na renda que você tem como o valor que é o seu salário, sem considerar os descontos de impostos, vales, plano de saúde e demais benefícios. Então, para não errar, tenha em mente sempre o seu salário líquido, ou seja, aquele valor que você realmente recebe, depois dos descontos, pois essa é a sua renda.

Lembrando que, caso você tenha outros recebíveis no mês, como aluguel de imóveis, eles também devem entrar na sua renda. Mas, se você recebeu uma quantia da venda de alguma propriedade, ou de outro tipo de bem, que não vai se repetir, lembre-se de que esse valor não pode ser considerado na renda.

Enfim, não deixe de anotar todos os seus rendimentos líquidos mensais, incluindo salário e rendas extras. E, claro, anote também todos os gastos que você tem para entender o quanto você está gastando no mês.

Depois, diminua o valor recebido do valor que você gasta para saber quanto você tem de dinheiro disponível por mês. Se acontecer de a conta não fechar, você tem uma razão a mais para iniciar seu controle financeiro pessoal.

2. Separe seus gastos em fixos e variáveis

Separe seus gastos em fixos e variáveis

Depois de identificar os seus gatos, é importante separar todos eles por categorias. Ao fazer isso, você passa a ter noção de onde seu dinheiro está indo, com o que gasta desnecessariamente e com o que gasta mais.

É fundamental que, todo mês, você faça o cálculo da porcentagem que cada um dos gastos indica no total das despesas. Bom, além das categorias fixas, procure incluir também as categorias variáveis.

Veja quais são os gastos fixos mais comuns:

  • aluguel;
  • água;
  • luz;
  • telefone;
  • internet;
  • supermercado;
  • transporte;
  • saúde.

Quanto aos gastos variáveis mais comuns são estes:

  • restaurantes/bares;
  • cinema;
  • roupas novas;
  • baladas;
  • salão de beleza;
  • emergências.

3. Tenha uma reserva de emergência

Um bom controle financeiro pessoal considera a necessidade de ter uma reserva de emergência. Essa reserva tem um objetivo específico, então ela não pode ficar junto dos seus investimentos. Lembre-se de que uma boa reserva precisa ser o suficiente para conseguir manter o seu padrão de vida durante 6 meses, pelo menos.

Ter uma economia dedicada para as emergências vai impedir que você recorra aos cartões de crédito quando tiver uma emergência financeira, por exemplo. Então, deixe o seu cartão em casa e economize um fundo para cobrir essas despesas que você não está esperando. Você consegue até tentar parcelar ou renegociar suas dívidas ao ter o dinheiro disponível.

4. Repense suas compras

Uma boa mudança de hábito é evitar comprar por impulso. O mais indicado a se fazer é começar criando uma lista dos seus desejos. Para que fazer essa lista? Para estabelecer quais são as prioridades e para analisar a necessidade de item a curto e longo prazo.

Vamos a um exemplo para que fique bem claro: se você pensa que precisa comprar uma roupa, mas percebeu que consegue viver bem sem ela ou que usaria a peça por um tempo muito curto.

Quando você cria e analisa a sua lista, você passa a notar que existe outra necessidade mais relevante no momento, que você não conseguiria adquirir se tivesse investido no primeiro item que desejou.

5. Estabeleça objetivos

Estabeleça objetivos

Esse é um ponto fundamental para garantir um excelente controle financeiro pessoal. Sua economia jamais pode ser somente aquele dinheiro que acabou sobrando ao terminar o mês. Ela tem que ser um objetivo. É dessa forma que você vai deixar de fazer apenas um simples acompanhamento das suas finanças e passar a ter um controle financeiro pessoal.

Então, você pode determinar uma quantia mensal para guardar. Sabe qual é a melhor maneira de fazer isso? Quando você receber seu salário, já separe uma parte do dinheiro, mas faça isso em um local diferente da conta bancária que você usa para pagar os gastos rotineiros, certo? Assim, você não usa esse valor que deve ser guardado.

6. Elimine as dívidas

Uma grande barreira para muitas pessoas quando o assunto é atingir metas financeiras é, sem dúvidas, a dívida. É por esse motivo que você tem que fazer o seu melhor para saldá-las. O ideal é fazer um plano de extinção das suas dívidas, pois assim você consegue eliminá-las mais rápido. Ah, quando você estiver sem nenhuma dívida, é preciso se comprometer a ficar sem elas.

Caso você não tenha dívidas, saiba que já está bem avançado na busca do seu controle financeiro pessoal. Mas, se não for seu caso, pense nelas como uma prioridade.

Sempre considere que as dívidas têm juros, logo, quanto mais você demorar para pagá-las, mais caras elas vão ficar, o que é muito ruim para as suas finanças, afinal, elas impedem que você direcione melhor seu dinheiro.

Enfim, ter controle financeiro pessoal não tem que ser uma experiência ruim e difícil. Além de necessário, ele vai ajudar você a progredir rumo aos seus objetivos financeiros. Uma dica valiosa: além de economizar, poupar e de reduzir seus gastos, não se esqueça da importância de ir além e fazer investimentos inteligentes.

Comece hoje mesmo. Não deixe para tomar as rédeas da sua vida financeira quando você já estiver com vários problemas. Seguindo as nossas dicas, essa vai ser uma tarefa bem fácil!

Gostou dessas dicas? Quer aproveitar a visita em nosso blog para aprender mais? Então, aproveite e confira 4 dicas para começar a fazer investimento a longo prazo!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *