Glossário do mercado imobiliário: (X) termos que você precisa conhecer

Glossário do mercado imobiliário: 21 termos que você precisa conhecer

O uso de termos do mercado imobiliário já não se limita aos escritórios de engenharia e arquitetura, aos corredores das imobiliárias e às instalações das empresas que se envolvem com atividades da construção civil — como é o caso da incorporadoras, construtoras e empreiteiras.

Com a internet, vários dados divulgados pelos tradicionais meios de comunicação passaram a ser obtidos em portais de notícias, blogs e até redes sociais. Essa mudança na forma de consumir informação facilita o acesso a conteúdos produzidos por especialistas, permitindo que qualquer pessoa tenha conhecimento das palavras empregadas em áreas específicas.

E você, será que realmente domina os principais jargões e siglas utilizados no mercado imobiliário? Se não tiver certeza sobre a resposta, pode ser que tenha deixado passar alguma expressão durante uma conversa ou leitura.

Mas não se preocupe! Neste glossário, vamos apresentar vários termos que você precisa conhecer e bons motivos para guardá-los na memória. Aproveite e faça uma boa leitura!

Importância de entender a linguagem do mercado imobiliário

Conhecimento nunca é demais, certo? Só essa frase já explica por que você deveria se interessar em aprender os conceitos do mercado imobiliário. A prática também traz uma série de benefícios a quem finalmente decidiu encarar a compra do apartamento dos sonhos.

As vantagens vêm tanto para aqueles que querem mudar de endereço quanto para as pessoas que pretendem sair da casa dos pais pela primeira vez. Afinal, adquirir um imóvel exige preparo, independentemente de o local ser destinado à moradia ou servir como forma de investimento.

Para tanto, é fundamental se basear em informações atualizadas. A seguir, descubra a importância de consultar e compreender os termos empregados no mercado imobiliário.

1. Obter segurança para comprar imóveis

Ninguém se arrisca a enfrentar um processo se não souber como ele funciona. O receio é ainda maior quando a atividade envolve investimentos importantes. Nesse sentido, é provável que uma pessoa desinformada em relação ao universo imobiliário tenha mais medo de negociar um imóvel ou até desista da opção.

Se você ainda está indeciso e tem dúvidas sobre algumas etapas que envolvem a compra, pesquisar o significado das terminologias pode ser um bom começo. Aos poucos, será possível compreender como as coisas funcionam, obtendo segurança e eliminando possíveis mitos relacionados ao assunto.

2. Melhorar a comunicação durante a negociação

Atingiu a estabilidade no emprego, conquistou a independência financeira ou conseguiu poupar para comprar o apartamento perfeito? O próximo passo é procurar a melhor forma de aquisição e conversar com os profissionais envolvidos.

Muitas pessoas se atrapalham nessa etapa, seja por medo de falar algo errado, seja por não compreenderem todas as expressões ditas pelo especialista. Portanto, uma forma de se preparar para o diálogo é chegar ao encontro com os principais conceitos do mercado imobiliário na ponta da língua.

Munido dessas informações, você ficará mais confiante para tirar dúvidas e expressar seus desejos com a negociação. Sem contar que todos saem ganhando quando não há falhas na comunicação, já que a experiência se torna mais tranquila.

3. Agilizar a transação imobiliária

Essa vantagem é consequência da anterior, pois o domínio de termos específicos permite acelerar a negociação desde o primeiro contato. Além do mais, é comum querer que uma transação imobiliária ocorra rapidamente, já que garantirá acesso às chaves da nova casa ou apartamento.

Portanto, se você se dedicou a juntar dinheiro para comprar determinado imóvel, reserve mais um tempo para aprender os principais conceitos, siglas e expressões utilizados no mercado. Dessa forma, a conversa com os profissionais fluirá melhor, evitando atrasos resultantes de incertezas ou informações desencontradas.

4. Aprimorar o vocabulário

Por fim, consultar as palavras presentes no glossário imobiliário é uma ótima oportunidade de expandir seus conhecimentos. Ou seja: descobrir novos termos e seus significados não serve apenas para se dar bem durante uma negociação de compra ou venda de imóvel.

Hoje, o mercado de trabalho exige pessoas atualizadas e que dominem diversas habilidades. Ter um vocabulário rico e diversificado pode ser uma delas e se tornar um diferencial em sua carreira profissional. Pense nisso sempre que tiver dúvidas e não hesite em buscar maneiras de aprender cada vez mais.

Termos mais utilizados no mercado imobiliário

A compra de apartamento costuma se iniciar por meio de pesquisas na internet e nas imobiliárias. Em trocas de opiniões com amigos ou conversas com corretores, é comum surgirem expressões diferentes. Muitas dessas palavras podem soar estranhas para quem não tem familiaridade com o vocabulário dos profissionais.

Se esse é o seu caso, fique de olho nos próximos tópicos. Vamos apresentar os termos mais utilizados no mercado imobiliário e o significado de cada um.

1. Acabamento

É a fase de finalização de uma obra, quando determinados materiais e produtos são aplicados para agregar cores, texturas e outros detalhes. Os acabamentos podem incluir trabalhos de pintura, aplicação de azulejo, instalação de revestimentos e outros processos.

2. Alvará

Trata-se de um documento emitido por órgão público para autorizar alguém a praticar determinado ato. Em muitos casos, serve para permitir a incorporação e/ou construção de um projeto arquitetônico.

3. Área comum

Designa o espaço compartilhado por todos os proprietários das unidades autônomas de um condomínio. Bons exemplos desse conceito são os espaços de lazer, os corredores e o hall de entrada. Outras áreas incluem:

  • privativa — espaço delimitado pela superfície externa das paredes do imóvel, que é de uso exclusivo do proprietário ou morador da unidade;
  • total — somatória das áreas privativa e comum do prédio;
  • útil — somatória das áreas do piso de um imóvel, com exceção da espessura das paredes.

4. Caução

É uma cautela tomada para garantir o cumprimento de obrigações que envolvam valores monetários. Na forma de depósito, serve para tornar efetivas todas as responsabilidades contratuais. O caução é, inclusive, um dos tipos de garantia para o aluguel do imóvel.

5. Cobertura

Apartamento localizado no último andar do prédio, ou seja, no topo do edifício. A cobertura costuma ser diferenciada das demais unidades, já que pode incluir áreas de lazer ao ar livre e apresentar configuração duplex (dois pavimentos) ou triplex (três pavimentos).

6. Contrato de gaveta

Trata-se do registro em papel daquilo que foi combinado verbalmente entre duas pessoas. Uma das partes registra o acordo em um contrato que será guardado para fins de confirmação da negociação. Por não ser registrado em cartório, esse tipo de documento não é oficial. Em outras palavras, significa que permanecerá na gaveta — daí o nome.

7. Crédito imobiliário

É o empréstimo concedido por instituições financeiras a pessoas que querem adquirir imóveis por meio de um financiamento habitacional. O crédito imobiliário está disponível no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

8. Escritura de imóvel

É um dos documentos necessários para adquirir uma casa ou um apartamento, pois oficializa a transação imobiliária. Em outras palavras, a escritura representa o ato jurídico de transmissão de posse e domínio do bem do vendedor para o comprador. Para que tenha valor, é preciso registrá-la no Serviço de Registro de Imóveis da circunscrição do imóvel.

9. Fiador

Pessoa que presta fiança, ou seja, abona alguém e se responsabiliza pelo cumprimento das obrigações do abonado. Cabe destacar que os credores não são obrigados a aceitar um fiador que não seja idôneo, não tenha domicílio no município onde prestará a fiança ou não possua bens suficientes para arcar com o seu compromisso.

10. Flat

Também conhecido como apart-hotel, trata-se de um edifício residencial composto por unidades autônomas que fornece serviços parecidos com aqueles encontrados em hotéis — restaurante, lavanderia etc. Os flats podem servir tanto para moradia permanente quanto para locações eventuais.

11. Formal de partilha

Emitido por juízes em caso de necessidade da divisão de bens, o documento é empregado quando uma pessoa morre e deixa algo para distribuir entre os herdeiros ou um casal se divorcia e precisa resolver a situação dos bens que possui, por exemplo. Assim, um imóvel que pertence a duas pessoas separadas ou seja advindo de herança só pode ser legalmente vendido quando há formal de partilha.

12. Habite-se

Auto de conclusão de obra que atesta a habitabilidade de uma construção. Toda casa ou unidade de apartamento só pode ser ocupada após a concessão do Habite-se. O documento, emitido pelo poder público municipal, implica em vistorias para verificar se tudo foi executado conforme o projeto e se os requisitos legais foram respeitados.

13. Hipoteca

O termo representa a sujeição de bens imóveis como garantia do pagamento de uma dívida de empréstimo. Se os valores envolvidos não forem pagos, o credor pode executar a hipoteca. Isso significa que ele tem permissão para tomar o imóvel do devedor com a finalidade de liquidar a quantia devida.

14. Imóvel na planta

Designação usual para empreendimentos comercializados na fase de lançamento, ou seja, antes do início da construção. Isso explica o termo imóvel na planta, já que o comprador visualizará o futuro apartamento por meio de simulações e representações gráficas dos ambientes.

15. Incorporadora

Pessoa física ou jurídica que empreende um projeto imobiliário em sistema de condomínios. A incorporadora pode comercializar unidades autônomas antes mesmo de ficarem prontas. Nesses casos, o comprometimento com a entrega dos imóveis dentro do prazo e das condições determinadas é firmado em contrato.

16. ITBI

A sigla é referente a Imposto de Transmissão de Bens Imóveis, também chamado de Imposto de Transmissão de Bens Inter-vivos em algumas regiões. Trata-se de uma tributação gerada durante a transação imobiliária. A taxa (que varia conforme a legislação estadual) é sempre cobrada pela prefeitura do município onde o imóvel está localizado e deve ser paga pelo comprador.

17. Loft

São projetos inspirados em soluções arquitetônicas típicas dos Estados Unidos, mais especificamente nas residências nova-iorquinas da década de 50. Um loft se caracteriza como uma construção com poucas divisórias internas e pé-direito alto — a planta geralmente é duplex e pode incluir um mezanino. Os ambientes permanecem integrados, compondo um layout aberto e diferenciado.

18. Permuta

Processo que ocorre quando há troca mútua de bens entre proprietários, o que inclui imóveis. A permuta pode acontecer com torna, quando parte do pagamento é feito em dinheiro, ou sem torna — para casos que não envolvem dinheiro.

19. Usucapião

Forma de aquisição de imóvel pelo uso contínuo. Se uma pessoa ocupa uma casa ou apartamento por muito tempo, como se fosse a proprietária do bem, ela pode receber o direito de domínio sobre a construção.

20. Vistoria de imóvel

É o processo de inspeção feito para conferir se o imóvel está de acordo com o que foi apresentado no contrato de compra ou locação. Também representa a verificação realizada por peritos designados por bancos e outras instituições em obras ou imóveis financiados por esses agentes financeiros.

A taxa de vistoria é cobrada do proprietário da casa/apartamento e garante que o laudo seja executado por um corretor ou avaliador de imóveis.

21. Zoneamento urbano

É uma divisão que determina o uso e a ocupação do solo, bem como as atividades de urbanização de um município. Essas normas são estabelecidas pelo plano diretor de cada cidade, a fim de definir os tipos de construção permitidos em zonas específicas — residencial, industrial, comercial, de serviços etc.

Conclusão

A curiosidade é um sentimento que acompanha a maioria das pessoas e pode ser útil em diversas situações. Prova disso está nas vantagens proporcionadas a quem pesquisa o significado das palavras — incluindo aquelas utilizadas no mercado imobiliário. É claro que existem mais termos a serem explorados, portanto não deixe de lado a postura de interesse frente àquilo que você não conhece.

Mais do que ajudar na compra do imóvel ideal, o aprimoramento do vocabulário também fará com que você se torne uma pessoa bem informada. Ao longo do tempo, esse conhecimento extra será essencial para ter confiança em suas decisões e, consequentemente, acertar em importantes escolhas.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *