Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Inflação do aluguel: o que aconteceu em 2020 e por que os valores aumentaram?

Inflação do aluguel: o que aconteceu em 2020 e por que os valores aumentaram?

Os últimos meses foram muito intensos e diferentes para a maioria das pessoas em todo o mundo e, logicamente, as medidas de restrição e isolamento imposta pela pandemia tiveram muita influência no aspecto financeiro. Por isso, aprender mais sobre a inflação do aluguel, o que aconteceu em 2020 e por que os valores aumentaram é muito importante.

É muito difícil que uma pessoa ou família consiga se planejar com os preços aumentando e o mercado de locações tem participação intensa no orçamento mensal, uma vez que arcar com um local para morar é uma deseja imprescindível para qualquer um. Continue lendo o post e aprenda mais sobre o assunto!

Como a inflação influencia no aluguel?

Antes de saber o que aconteceu em 2020 e por que os valores aumentaram, é interessante conhecer, um pouco melhor, como a inflação influencia no aluguel. Via de regra, quando um contrato de locação é assinado, é estipulado um índice a ser considerado, que deverá ser utilizado, usualmente ao final de cada ano, para fazer o reajuste.

No mercado brasileiro, o mais popular e tradicional é o IGP-M (Índice Geral de Preços–Mercado). De acordo com a sua variação e a de seus componentes, o impacto nas finanças do locatário pode ser maior, como o que vem ocorrendo nos últimos tempos.

O que aconteceu para esse reajuste em 2020?

O que aconteceu para esse reajuste em 2020?

O Índice Geral de Preços–Mercado é calculado mensalmente e depois somado, chegando ao valor anual. No ano de 2020, de acordo com a tradicional Fundação Getúlio Vargas (FGV), o IGP-M acumulado de 12 meses foi de 25,71%. Sendo assim, essa é a alíquota que deverá ser utilizada para fazer o reajuste dos contratos de aluguel.

Vale saber que o Índice Geral de Preços–Mercado tem diversos componentes e o chamado Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) tem um peso de 60% no cálculo, enquanto o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) tem 30%, entre outros. Também há uma influência considerável das oscilações do dólar, que subiu bastante recentemente.

Será que é possível se livrar dessas variações?

Um IGP-M alto e a conjuntura atual da economia, muito afetada pelas medidas de restrições impostas pela pandemia de coronavírus, trazem um cenário de incerteza para quem paga aluguel. Desta forma, investir num imóvel próprio, por outro lado, traz mais liberdade individual, além de segurança patrimonial a longo prazo.

Sendo proprietário do local em que vive, a pessoa não precisa ter medo dos índices e da inflação que, na maioria das vezes, ultrapassa o reajuste salarial do trabalhador comum. Apostar na aquisição de uma casa, apartamento ou mesmo uma unidade na planta, portanto, é ganhar mais segurança e tranquilidade para o futuro.

Agora você já entendeu um pouco mais sobre a inflação do aluguel, o que aconteceu em 2020 e por que os valores aumentaram! Para que o seu orçamento mensal não corra riscos, o ideal é ter um bom planejamento e começar a pensar em comprar o seu próprio imóvel!

Gostou de aprender mais sobre a inflação do aluguel? Quer aprender um pouco mais sobre o assunto? Então, confira nosso outro post mostrando quanto guardar por mês para comprar um apartamento!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *