Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Para financiar um imóvel é preciso dar entrada?

Para financiar um imóvel é preciso dar entrada?

O financiamento imobiliário é uma excelente alternativa para quem deseja se tornar dono de uma propriedade no Brasil e, por conta das suas muitas vantagens, se tornou um caminho escolhido por muita gente que está investindo no setor. No entanto, uma dúvida muito comum é: para financiar um imóvel, é preciso dar entrada?

O fato é que, para que você consiga fazer o melhor negócio possível e adquira a unidade que melhor se encaixa em suas demandas e nas necessidades da sua família, ganhar um pouco mais de conhecimento sobre o assunto é bastante importante. Por isso mesmo, você não pode deixar de ler o conteúdo de hoje. Confira!

Afinal, o que é uma entrada?

O termo “entrada” é bastante comum no mercado imobiliário, mas pode ter um conceito pouco conhecido para quem não atua ou não tem familiaridade com o segmento. De uma maneira resumida, a entrada é um percentual do valor do imóvel que será financiado e deve ser pago no começo do processo.

Mais do que uma parte do preço da propriedade, a entrada tem incidência sobre os outros aspectos do empréstimo, tendo em vista que, quanto maior for, menores serão as prestações pagas todos os meses. Para o seu pagamento, recursos da conta do FGTS podem ser usados, desde que as normas vigentes no momento do contrato sejam respeitadas.

Quando é possível não pagar ou parcelar a entrada?

Quando é possível não pagar ou parcelar a entrada?

Como você pôde ver, a entrada é uma etapa comum dos financiamentos imobiliários e, via de regra, não deve ser menor do que 30% do valor da propriedade. No entanto, existem algumas situações pontuais nas quais ela é parcelada ou, até mesmo, não paga. Veja abaixo quais são eles!

Financiamento na Caixa

A Caixa Econômica Federal, popularmente chamada apenas de Caixa, é a maior fornecedora de crédito para financiamentos imobiliário no Brasil. Por se tratar de uma empresa pública, o banco tende a oferecer condições facilitadas para os clientes, sobretudo quando eles se encaixam em algum dos programas habitacionais oferecidos pelo governo. 

Isso acontece, por exemplo, no do Minha Casa Minha Vida (MCMV), que é considerado a maneira mais fácil de conseguir comprar um imóvel sem entrada. O financiamento de 100% do valor da unidade residencial é concedido para os beneficiários que se encaixam na Faixa 1, ou seja, com renda mensal bruta inferior a R$1.800.

Já no programa Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa Minha Vida, houve mudanças nesse aspecto. Ainda há condições diferenciadas de juros e financiamento facilitado, mas as faixas são diferentes. O novo sistema funciona por grupos, com limite de R$2,000 de renda mensal para o primeiro.

Negociação com construtoras

A negociação direta com a construtora é outra possibilidade que não é tão popular, mas que também oferece a possibilidade de comprar um imóvel sem entrada ou, pelo menos, com ela sendo amplamente facilitada. Com isso, você pode adquirir uma casa ou apartamento na planta, mesmo sem ter uma quantia inicial robusta.

Isso ocorre porque as construtoras costumam oferecer o máximo de facilidades de pagamento, visto que são diretamente interessadas em fechar o negócio, até para que capitalizem o empreendimento em questão. No entanto, é uma opção para quem não tem tanta pressa, porque as unidades ainda não estão prontas.

Como você pôde ver, é possível financiar um imóvel sem entrada, desde que você siga os caminhos corretos para isso.

Gostou de aprender se é possível financiar um imóvel sem entrada? Então, confira nosso outro post com dicas para comprar um imóvel na planta.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *