Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

10 regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa

10 regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa

Considerando a incrível valorização que o setor imobiliário tem no Brasil, principalmente nos grandes centros urbanos, muita gente não tem dinheiro para comprar uma propriedade à vista e utiliza as alternativas disponíveis no mercado para isso. Diante de tal realidade, conhecer as regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa pode ser muito importante.

Trata-se de uma modalidade que oferece excelentes vantagens e boas condições para os mais variados perfis de compradores, mas também conta com algumas exigências e limitações, que devem ser conhecidas antes de dar início ao processo. Continue lendo o conteúdo e descubra quais são!

Como funciona o financiamento de imóvel novo pela Caixa?

Como você já deve ter ouvido falar, a Caixa Econômica Federal é o maior credor de financiamentos habitacionais do Brasil. A instituição não é imprescindível apenas para o setor imobiliário, mas também para o ramo da construção civil e para todos os cidadãos que desejam sair do aluguel e realizar o famoso sonho da casa própria.

Existem diversas modalidades e linhas de crédito e uma das que mais chama a atenção é o financiamento de imóvel novo pela Caixa. Ele é feito por meio do Sistema Financeiro de Habitação e usa como garantia a alienação fiduciária, ou seja, a unidade fica em uso do cliente, mas só é efetivamente transferida ao final do pagamento do saldo devedor.

Na prática, a pessoa pode financiar casas e apartamentos localizados em áreas urbanas, que atendam aos requisitos de habitabilidade e qualidade exigidos pelo banco. Também é possível utilizar o simulador disponibilizado no site da empresa, para conhecer as melhores opções disponíveis para cada perfil e orçamento.

Quais são as regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa?

Quais são as regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa?

Agora que você já entendeu um pouco melhor como funciona o financiamento de imóvel novo pela Caixa, vamos falar um pouco mais sobre as regras estipuladas pelo banco para quem deseja financiar este tipo de propriedade. As exigências não são muito diferentes de outras linhas, mas contém algumas peculiaridades. Acompanhe.

1. Realização de uma análise de crédito

Uma das regras mais básicas para o financiamento de imóvel novo pela Caixa é a realização da famosa análise de crédito. O cidadão deve se dirigir a uma unidade da instituição e solicitá-la. Se você já tiver uma conta aberta no banco, isso facilitará ainda mais o processo. Caso contrário, basta escolher a agência mais conveniente para você.

Pode ser necessário fazer algumas visitas até que o processo ser finalizado, pois esse é o momento no qual a CEF vai conferir toda a documentação e identificar qual é o tipo de modalidade de crédito mais adequada para o seu perfil, além checar outras possibilidades, como a inclusão em programas habitacionais ou o uso do FGTS.

2. Apresentação de documentos de identidade

Outra exigência do financiamento de imóvel novo pela Caixa é a apresentação dos documentos do interessado em solicitar o empréstimo. É importante lembrar que tudo precisa ser válido, ou seja, dentro do prazo de validade e em bom estado de conservação. Não se esqueça de que rasgos ou rasuras tendem a não ser aceitos.

Para isso, poderão ser usados o RG (Registro Geral), Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou Carteiras Profissionais de órgãos como o CRM (Conselho Regional de Medicina) ou a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). O CPF também é obrigatório, mas você não precisa levá-lo se outro documento de identificação apresentar o número.

3. Comprovação de endereço e estado civil

Para fazer um financiamento de imóvel novo pela Caixa, é indispensável a apresentação de um comprovante de residência. Ele também deve estar atualizado e é recomendável que esteja em nome do solicitante do empréstimo. Para isso, você pode usar sua correspondência, como as contas de energia, telefone ou contrato de aluguel, por exemplo.

O comprovante de estado civil é outro fator imprescindível e varia de pessoa para pessoa. Os solteiros podem apresentar apenas a certidão de nascimento. Já quem é casado, por sua vez, deve levar a certidão de casamento, bem como a documentação do cônjuge. Os que passaram por um divórcio ou separação, por outro lado, devem apresentar a averbação.

4. Documentação comprobatória de renda

Na hora da avaliação do seu financiamento de imóvel novo pela Caixa, o banco verificará a sua renda, pois ela é um fator primordial para entender qual o valor da parcela que cabe no seu bolso. Se você for um empregado formal, isso não trará maiores dificuldades, bastando levar alguns holerites atualizados, geralmente relativos aos últimos 3 meses.

Já empreendedores e informais, podem partir para outros caminhos. Donos de empresa, por exemplo, podem levar o pró-labore mais recente ou a declaração de Imposto de Renda do último ano. Para autônomos, costumam ser solicitados extratos bancários ou faturas de cartão de crédito, bem como outras declarações do tipo.

5. Confirmação da regularidade do imóvel

A Caixa Econômica Federal, como vimos, é o maior credor do setor imobiliário do Brasil e não trabalha com imóveis de baixa qualidade. Sendo assim, é natural supor que também não aceite unidades que se encontram em situação irregular, algo que ainda pode ser bastante comum em algumas regiões do país, infelizmente.

Caso isso ocorra, mesmo que você tenha o crédito aprovado, o banco não vai autorizar a compra. A regra é que não haja nenhuma pendência nas esferas municipais, estaduais ou federais, por menor que ele seja. Então, antes de tomar a decisão, é bastante recomendável fazer uma análise minuciosa para saber se está tudo certo.

6. Atender às regras dos programas habitacionais

Se você estiver pensando em financiar na Caixa por meio de um programa habitacional, será preciso atender às regras, de acordo com a modalidade. Vale lembrar que o antigo Minha Casa Minha Vida vem sendo transformado no Casa Verde e Amarela, que tem o mesmo princípio, mas conta com algumas mudanças relevantes.

Na faixa 1 do MCMV, por exemplo, era possível comprar sem entrada, coisa que não acontece mais. Já no novo sistema, é possível usar o recurso para regularização fundiária e melhorias na propriedade. O mais importante é compreender se você tem renda compatível com as faixas disponibilizadas, para aproveitar as boas condições de pagamento e taxas de juros mais baixas.

7. Financiar imóveis situados em áreas urbanas

Algumas pessoas não sabem, mas o financiamento de imóvel novo pela Caixa é exclusivo para propriedades situadas em área urbana. Ou seja, você não obterá aprovação para comprar unidades em localização rural. Além disso, você não pode ser dono, cessionário e promitente comprador de outro imóvel residencial no momento. 

Outro ponto crucial é que existem exigências quanto às condições de habitabilidade do local. Para isso, existe o chamado “Programa Caixa de Olho na Qualidade”, tanto para o Casa Verde e Amarela quanto o Minha Casa, Minha Vida, em todas as Faixas. Sua função é facilitar a relação entre as construtoras e seus clientes, sanando problemas relacionados a vícios construtivos.

8. Exigência de avaliação técnica da Caixa

Antes de dar a palavra final, a Caixa Econômica Federal também realiza a sua famosa análise técnica do imóvel. Isso é feito por profissionais selecionados e capacitados, que fazem parte do departamento de engenharia da instituição. É uma garantia para todas as partes envolvidas, de forma que a precificação seja adequada e ninguém saia lesado.

Na prática, o que acontece é que um especialista do banco vai à propriedade escolhida para verificar detalhes, como os valores solicitados e as condições de uso. A documentação enviada pelo vendedor também é checada, para que seja emitido o laudo e procedida a aprovação do financiamento. Tudo isso pode ser acompanhando no site da CEF.

9. Limitações quanto aos valores parcelados

Você encontrou a casa que queria ou o apartamento dos seus sonhos? Calma! É preciso que as prestações caibam no seu orçamento para que a Caixa Econômica Federal autorize a operação. Antes, a instituição parcelava no máximo 60% do valor da propriedade. Hoje, esse financiamento pode chegar até 80% para um imóvel na planta.

Além disso, você deve conhecer a “regra dos 30%”. Ela quer dizer que a parcela mensal não poderá exceder esse percentual da sua renda mensal comprovada. No entanto, se você tiver cônjuge ou filhos economicamente ativos, os rendimentos deles poderão ser somados aos seus, para fazer a composição, aumentando esse limite.

10. Possibilidade de inclusão de alguns impostos

A Caixa vem adaptando suas operações de forma a melhor atender à sociedade brasileira. Com isso, até a composição das prestações mensais pode mudar, incluindo valores diferentes dos de antes. Usualmente, a prestação dependia do preço do imóvel, dos juros estipulados em contrato, eventuais taxas administrativas e dos seguros obrigatórios.

Porém, uma mudança mais recente nas regras abriu a possibilidade de inclusão de alguns impostos. Os mais importantes são o Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), e os custos cartorários, com escrituras e certidões. Com isso, o cliente pode pagar essas quantias com mais facilidade, ao longo dos anos de financiamento.

Quais os benefícios de realizar um financiamento pela Caixa?

Quais os benefícios de realizar um financiamento pela Caixa?

Nos tópicos acima, falamos sobre as regras que a Caixa Econômica Federal impõe para oferecer o financiamento de imóvel novo para os interessados. São exigências comuns, mas que abrem a chance de você experimentar os numerosos benefícios que a instituição proporciona para o comprador. Confira abaixo alguns deles.

A Caixa é uma instituição sólida

Comprar um imóvel, mesmo quando achamos uma boa oportunidade, é sempre algo que envolve quantias consideráveis de dinheiro. Nesse contexto, um dos maiores erros que alguém pode cometer é buscar ajuda e recursos com instituições pouco idôneas ou sem grande experiência no mercado, não é verdade?

Ao finalizar pela Caixa, você não corre esse risco. Trata-se do banco que mais oferece financiamentos no Brasil, com grande expertise no ramo e total segurança para os clientes. Existem alternativas para todos os perfis, soluções para os problemas que surgirem e garantia de que você fará escolhas que caibam no seu orçamento.

As taxas e os juros são menores

Ao investir em imóveis por meio de um financiamento, você precisa entender como a prestação é constituída. Como dissemos acima, ela dependerá do valor da propriedade, do prazo de pagamento, da sua renda, dos seguros obrigatórios, eventuais taxas administrativas e dos juros que foram previamente estipulados em contrato.

Com a Caixa Econômica Federal, você sabe que está lidando com algumas das melhores condições de todo o setor, uma vez que sua função inclui o incentivo a uma grande parcela da população em investir no sonho da casa própria. Especialmente nos programas habitacionais, você poderá encontrar alíquotas muito abaixo das praticadas no mercado.

Os prazos de pagamento são maiores

Ao financiar um imóvel novo pela Caixa Econômica, as suas vantagens não param por aí. Se as taxas e juros são menores, por outro lado, os prazos de pagamento são maiores. Nas instituições tradicionais do segmento, é bastante provável que o período máximo para quitar o saldo devedor não supere os 30 anos.

Já na CEF, especialmente para quem se enquadra nas exigências dos programas habitacionais, você ganha muito mais tempo. Dependendo do seu perfil e do contrato, o débito poderá ser quitado em até 35 anos, ou seja, 420 meses. Vale lembrar que, ao final do prazo de pagamento, a idade do solicitante não deve ultrapassar 80 anos e 6 meses.

Há possibilidade de usar o saldo do FGTS

Você trabalha com carteira assinada há muitos anos e sequer confere a sua conta vinculada ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço? Pois saiba que essa é uma situação bastante comum no Brasil, mas que pode dar a ajuda que você precisa na hora de comprar uma casa, apartamento ou até mesmo um vantajoso imóvel na planta.

Mesmo nos programas habitacionais, você pode sacar os recursos do FGTS, caso atenda aos requisitos necessários. Ele pode ser usado para pagar a entrada, amortizar algumas parcelas ou quitar o saldo devedor no final. A única demanda é que o empréstimo tenha sido feito dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Existem vantagens para funcionários públicos

As vantagens para funcionários públicos não são apenas relativas à estabilidade no cargo ou proteção contra demissões ou alterações de salários. Muitas instituições financeiras relacionadas com os poderes públicos, como a Caixa Econômica Federal, também oferecem benefícios específicos, voltados para esse tipo de cliente.

A CEF pode proporcionar boas condições e facilitar o contrato de financiamento imobiliário para servidores das esferas municipais, estaduais e federais. Isso pode se converter em maiores prazos de pagamento, autorização para aquisição de unidades mais valorizadas ou menores taxas de juros. Vale consultar uma agência e conferir qual o seu caso.

O atendimento oferecido é de alto padrão

Quem não conhece a Caixa Econômica Federal pode achar que, por se tratar de uma instituição altamente popular e bastante movimentada, o atendimento ao cliente pode ficar comprometido. No entanto, o que acontece é exatamente o oposto: o relacionamento com o cliente mantém um padrão muito elevado e de alto nível.

Isso ocorre tanto pela expertise dos funcionários da empresa, que estão muito acostumados a lidar com financiamentos, como também a partir dos correspondentes, que são organizações credenciadas para prestar diversos serviços. Em caso de alguma dúvida ou problema, basta entrar em contato com um deles e buscar a melhor solução.

Como acelerar a aprovação de um financiamento pela Caixa?

Como acelerar a aprovação de um financiamento pela Caixa?

Depois de ficar por dentro das regras e entender os benefícios de fazer um financiamento de imóvel novo pela Caixa, você já deve estar ansioso por dar entrada no processo e conseguir o empréstimo habitacional para comprar a casa ou apartamento dos seus sonhos, não é mesmo? Felizmente, existem algumas dicas para acelerar sua aprovação. Veja.

Tenha cuidado na escolha do imóvel

O primeiro passo para acelerar a aprovação de um financiamento pela Caixa é ter cuidado na escolha do imóvel. Logicamente, você precisa buscar um local que atenda às demandas e necessidades da sua família, especialmente em termos de localização, estrutura, metragem, número de quartos, presença de vagas de garagem e assim por diante.

No entanto, você precisa recordar que o preço impactará totalmente no valor das parcelas, que não podem ultrapassar 30% da sua renda. Por isso, é preciso decidir com sabedoria, bem como não deixar de incluir suas outras despesas, como as contas mensais, escola das crianças, eventuais prestações de veículos, taxa de condomínio etc.

Faça uma simulação do financiamento

Como dissemos, os bancos oferecem simuladores bastante eficazes e o da Caixa é um dos melhores do mercado. Agora que você tem uma ideia do valor a ser financiado, uma das melhores dicas é não perder tempo e simular como ficarão as prestações, entradas, prazos de pagamento, taxas de juros e quaisquer outras variáveis.

Você pode pedir ajuda para o gerente da sua agência ou, para quem prefere praticidade, fazer tudo direto no site da Caixa Econômica Federal. Isso também ajuda a entender quais são os imóveis adequados à sua realidade financeira e quais estão fora do seu orçamento. Como você ainda não assinou o contrato, é possível fazer mudanças.

Mantenha seu nome limpo no mercado

Poucas dicas podem ser mais eficazes para acelerar a aprovação de um financiamento pela Caixa do que manter o seu nome limpo no mercado. Na realidade, isso serve para qualquer banco, pois nenhuma instituição séria vai aprovar um empréstimo para pessoas que estão em situação de inadimplência e sem o amplo controle do próprio orçamento.

Por isso, se você estiver em dúvida se tem alguma pendência, dê uma olhada nas páginas das principais empresas do ramo de proteção ao crédito, como o SPC e o SERASA. Caso haja alguma dívida não paga, procure os seus credores e negocie tanto quanto puder. Como eles estarão desejosos por receber, você pode obter boas condições e descontos.

Reúna os documentos antecipadamente

Outra das melhores dicas para acelerar a aprovação de um financiamento pela Caixa está relacionada com a temida e burocrática papelada. Embora o banco simplifique tanto quanto possível nesse aspecto, existem itens indispensáveis e que não poderão faltar na hora de analisar o seu perfil e descobrir o melhor tipo de empréstimo para você.

Um problema muito comum é a questão da validade, pois a documentação deve estar totalmente atualizada. Tenha em mente que, dependendo do caso, a instituição pode aumentar a lista de solicitações, pedindo holerites, extratos, identificações, ente outros. Se algo estiver vencido, procure logo o cartório para as devidas regularizações.

Separe um bom valor para a entrada

Já observamos que o financiamento de imóvel novo pela Caixa, ainda que seja extremamente vantajoso, tende a ter um grande impacto nas finanças de qualquer pessoa, não é mesmo? Então, vale a pena observar que um dos fatores que pode oferecer mais tranquilidade para o orçamento mensal é oferecer uma entrada mais robusta.

Quando isso é feito, as prestações são menores e, dependendo do caso, até os prazos poderão ser diminuídos. Pelas regras, o mínimo que você precisa ter para financiar é entre 20 e 30% do valor do imóvel, conforme a linha de crédito. Se você superar tal percentual, poderá financiar o restante em parcelas mais suaves.

Evite pendências na Receita Federal

Não é apenas com as empresas privadas e os serviços de proteção ao crédito que você precisa deixar o seu nome limpo. Caso você tenha problemas com a Receita Federal ou mesmo com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), suas chances de aprovação em um financiamento habitacional, inclusive com a Caixa, serão amplamente reduzidas.

Os empecilhos mais comuns nesse contexto costumam ser declarações pendentes de Imposto de Renda, divergências nos documentos, dívidas públicas ativas, impostos atrasados, entre outros. Se você souber de algo do tipo, não perca tempo: procure o órgão responsável e ajuste tudo o que estiver faltando.

Agora que você já sabe as regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa, os principais benefícios e como acelerar os trâmites, você tem tudo para colher os frutos de um empréstimo imobiliário em uma instituição sólida e com as melhores condições do mercado!

Gostou de conhecer as 10 regras para financiamento de imóvel novo pela Caixa? Então, confira nosso outro post que mostra quanto você precisa guardar por mês para comprar um apartamento!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *