Apartamento financiado: 5 dicas para otimizar as finanças

Apartamento financiado: 5 dicas para otimizar as finanças

Realizar o sonho do apartamento próprio é bom demais, concorda? Mas escolher o imóvel é só o primeiro passo. É preciso planejamento para comprar um apartamento financiado e não ter surpresas desagradáveis com as contas.

Muita gente acha que deve ganhar mais dinheiro para conseguir colocar as contas em dia, sem perceber que existem outras maneiras de se organizar.

Mas como se planejar? Neste post, vamos dar algumas dicas para você otimizar as finanças e não se perder no financiamento. Confira!

Qual é a importância do planejamento financeiro?

Logicamente, a importância de um bom planejamento financeiro para comprar seu apartamento com segurança e evitar o endividamento é algo imprescindível. Não se esqueça de que os imóveis são bens duráveis e trazem muitos benefícios, o que acaba se refletindo nos valores que são praticados no mercado imobiliário.

Dessa maneira, para adquirir uma casa, um apartamento ou até mesmo um terreno, você precisa ter foco e estratégia. Deve-se conseguir não apenas juntar uma parte inicial para a entrada, mas também para pagar as parcelas de um eventual financiamento sem que isso comprometa suas finanças ou seu estilo de vida.

Como otimizar as finanças?

Agora que você já compreendeu um pouco melhor sobre o contexto que torna as propriedades tão valorizadas e importantes na vida de qualquer pessoa, chegou a hora de conferir algumas dicas simples e eficientes para otimizar as finanças. Veja a seguir.

1. Controle as finanças

Controlar as finanças inclui criar um planejamento financeiro, algo que é extremamente necessário antes de adquirir o apartamento novo. Para fazer isso, é preciso colocar na ponta do lápis tudo o que você recebe e gasta. Use uma planilha no computador, aplicativos no celular ou um caderno de anotações.

Essa dica é importante porque ajuda a perceber com o que você gasta mais dinheiro. Se as compras de supermercado são suas maiores dívidas, por exemplo, tente economizar com produtos mais baratos ou comprar apenas o necessário.

2. Tenha cuidado com o cartão de crédito

Nas mãos de quem sabe utilizá-los, os cartões de crédito são ferramentas verdadeiramente úteis à organização das finanças. Por outro lado, trata-se de uma grande armadilha para as pessoas que não têm esse controle! Siga sempre as sugestões abaixo:

  • tenha apenas um cartão de crédito;
  • não tenha um limite de crédito superior à sua renda mensal;
  • não parcele compras que são feitas todos os meses, para evitar o acúmulo de dívidas;
  • nunca entre no crédito rotativo (nunca mesmo!) e sempre pague o valor total da fatura.

Utilize o cartão de crédito nas aquisições maiores, como eletrodomésticos, equipamentos eletrônicos ou passagens aéreas. Assim, você aproveita o melhor desse recurso sem comprometer seu controle financeiro.

3. Utilize o débito automático

Contas de água, energia elétrica, TV, internet e telefone têm vencimentos diferentes, que podem confundir qualquer um. Colocar tudo em débito automático ajuda a organizar as finanças e evitar o pagamento de multas ou juros por atrasos.

Se você tem algum vencimento longe da data em que recebe seu salário, entre em contato com a prestadora e solicite a alteração da data.

4. Não contraia novas dívidas

Para organizar a vida financeira, é essencial não contrair novas dívidas. Nunca faça uma compra sem se preparar para ela. Precisa de um celular novo ou uma TV mais moderna? Verifique o orçamento, quando será a melhor ocasião para a compra e como você fará o pagamento.

Além disso, antes de qualquer aquisição, certifique-se de que você realmente precisa daquilo. Afinal, é melhor não levar para casa uma nova dívida por impulso, não acha?

5. Peça a ajuda da família e dos amigos

A família e os amigos estão sempre por perto, portanto podem ajudar bastante na hora de otimizar as finanças. Inclua no seu planejamento financeiro as saídas à noite com os amigos e as viagens em família. Deixe que eles saibam que você está organizando os gastos e proponha programas mais baratos.

Colocando tudo no papel, utilizando bem o cartão de crédito, tendo as contas no débito automático, não contraindo novas dívidas e contando com a ajuda dos amigos, pagar o seu apartamento financiado se tornará uma tarefa muito mais fácil.

Quais são as melhores práticas para as finanças do casal?

Como você pôde conferir no conteúdo acima, algumas dicas são fundamentais para otimizar as finanças. No entanto, quando se trata de um casal, o panorama muda um pouco, pois você tem outra pessoa com a qual pode dividir tal tarefa (e também as responsabilidades). Veja abaixo como fazer isso!

Seja honesto quanto ao objetivo

Uma das principais dicas para melhorar as finanças do casal é ser bastante honesto quanto ao objetivo de adquirir um imóvel. Essa é uma atitude saudável não apenas do ponto de vista do orçamento, mas até do relacionamento como um todo, uma vez que será preciso mudar alguns hábitos que podem ser recorrentes aos dois.

Caso os salários não correspondam às suas expectativas e necessidades mensais, sem contar com os imprevistos, uma conversa mais séria pode ser imprescindível, de forma que as prioridades e despesas sejam reavaliadas. Essa clareza evita contas bagunçadas, que seriam pouco benéficas para o objetivo final.

Defina um orçamento tangível

Depois de ter uma conversa inicial e garantir mais clareza em relação às despesas e receitas, chegou a hora de dar o passo seguinte: definir um orçamento tangível em conjunto, de forma que vocês possam economizar determinada quantia por mês. Isso é crucial tanto para compras à vista quanto no caso de financiamentos.

Como dissemos, minimize os recursos gastos com itens supérfluos, como idas a restaurantes caros, viagens em excesso, passeios dispendiosos ou compras de artigos pouco necessários. Contar com o auxílio e o suporte do seu parceiro é essencial, visto que se trata de uma meta valiosa para ambos.

Inclua o financiamento nos gastos

Caso você opte por um financiamento imobiliário, uma alternativa bastante comum (que pode ser vantajosa dependendo de suas condições e do seu perfil), é imprescindível avaliar e incluir as parcelas mensais no orçamento doméstico. Por incrível que pareça, algumas pessoas não fazem isso da maneira adequada.

Lembre-se de que essa despesa passa a ser recorrente por anos ou até décadas, ainda que seja algo que traga um retorno muito interessante. Antes de finalizar a transação e assinar o contrato, portanto, é preciso considerar o preço total da propriedade e o período em que você pretende efetuar o pagamento.

Evite consumir além do necessário

Parte do erro de muitos casais é consumir mais do que o necessário todos os meses. Isso é negativo não apenas pela despesa em si, mas também porque minimiza as possibilidades de que vocês tenham algum recurso extra para investir. Mesmo que a prestação caiba no orçamento, é preciso lembrar que imprevistos podem acontecer.

Dessa maneira, tentem passar longe das tentadoras liquidações de artigos supérfluos e procurem fazer o dinheiro render por meio de algum tipo de investimento. Pesquisem as opções antes de tomar qualquer decisão e mirem em aplicações seguras, capazes de gerar um ganho que pode não ser tão grande, mas se mostre estável e previsível.

Que ferramentas são úteis para otimizar as finanças?

Torne-se amigo das planilhas

A boa e velha planilha de gastos é uma poderosa aliada na luta pelo apartamento próprio. Essa ferramenta é muito importante e pode servir não só para trazer mais controle, mas para registrar todo o dinheiro que entra e sai ao longo do mês de maneira organizada e efetiva.

Para que isso seja feito de forma eficaz, lembre-se de adicionar todas as despesas fixas, os pagamentos e as contas. Além dos salários, inclua eventuais fontes de renda diversas. O ideal é que sobre cerca de 10% a 20% de tudo o que você ganha, até mesmo para trazer mais tranquilidade a esse momento.

Use a tecnologia a seu favor

Embora a tradicional planilha ainda tenha seu valor, não dá para deixar de enxergar a realidade e perceber que a tecnologia pode ser muito positiva a quem deseja um melhor controle financeiro. Felizmente, existem diversas ferramentas do gênero nos dias de hoje, muitas das quais gratuitas e simples de usar.

Os aplicativos de controle das finanças pessoais, por exemplo, são muito populares e utilizados por milhões de pessoas em todo o planeta. Eles contam com funcionalidades interessantes e organizam, de maneira automática na tela do smartphone, todas as transações feitas com o seu cartão de crédito e débito (separadas por categorias).

Considere um curso online

Pouca gente pensa nessa possibilidade, mas um curso de finanças, inclusive na modalidade online, pode ser uma das melhores alternativas para otimizar suas contas e realizar o sonho do apartamento próprio. O melhor de tudo é que, se você escolher algum oferecido pela internet, dá para organizar os horários de acordo com sua rotina.

Existem opções bem interessantes e muitas vezes disponibilizadas por instituições de renome, como universidades e grandes fundações. Dessa forma, você pode aprender sobre temas variados, a exemplo de taxas de juros, indexação na economia brasileira, rendimentos, alíquota de inflação, desemprego e muitos outros.

Como vimos ao longo deste conteúdo, otimizar as finanças depende apenas de algumas ações pontuais e atitudes estratégicas. Tais cuidado não devem causar mudanças muito profundas no seu estilo de vida, mas podem conduzi-lo para essa realização tão importante e vantajosa na vida de qualquer pessoa!

Economizar é coisa de quem sabe usar seu dinheiro — e o aprendizado não deve parar, mesmo depois de você otimizar as finanças e, finalmente, conquistar seu imóvel próprio! Sendo assim, não deixe de assinar nossa newsletter para receber outros conteúdos como este de forma inteiramente gratuita!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *