Confira 4 dicas para começar a fazer investimento a longo prazo!

Confira 4 dicas para começar a fazer investimento a longo prazo!

O investimento a longo prazo é uma excelente maneira de se preparar para a aposentadoria, por exemplo. Nada como chegar a essa fase da vida e conseguir aproveitá-la sem preocupações, concorda?

Porém, sabemos que tal tipo de investimento não é um hábito comum entre os brasileiros — muitas pessoas sequer sabem por onde começar. Além de pesquisar em qual área investir, é muito importante ter um planejamento.

Ficou interessado no assunto e quer saber como dar o primeiro passo para um investimento a longo prazo? Então, continue a leitura e confira nossas dicas.

Quais são as vantagens do investimento a longo prazo?

Quando falamos sobre investimento a longo prazo, nos referimos a um período superior a cinco anos (em muitos casos, podemos pensar em até 20 ou 30). Sendo assim, você precisa ter em mente que, para conseguir o retorno financeiro desejado, precisará esperar um tempo.

Mas esse sacrifício tem suas vantagens. A primeira delas é que o investidor não precisa se preocupar tanto com o cenário econômico atual, já que as aplicações serão resgatadas no futuro. Sendo assim, se o mercado estiver desfavorável em determinado momento, você pode esperar a situação melhorar ou até mesmo transferir para outra aplicação.

Sem contar que o investimento a longo prazo geralmente oferece taxas de retorno superiores e uma menor cobrança de imposto de renda. No final, isso costuma fazer uma grande diferença.

Outra vantagem é a segurança. Um financiamento imobiliário, por exemplo, prevê até um seguro de vida que quita o imóvel. Trata-se de uma maneira de pensar no futuro da família.

Como se preparar para um investimento a longo prazo?

O investimento a longo prazo demanda planejamento, uma vez que a ideia é não utilizar aquele recurso por um tempo. Sendo assim, confira nossas sugestões antes de aplicar seu dinheiro.

1. Defina seus objetivos financeiros

Acredite: você não chegará a lugar algum se não tiver clareza do que quer conseguir. Para tanto, precisará definir seus objetivos financeiros.

Antes de qualquer coisa, pergunte-se o que pretende fazer com o dinheiro no futuro. Pode ser a compra da casa própria, uma aposentadoria mais confortável, a garantia de uma educação de qualidade para os filhos etc.

Com o objetivo definido, faça as contas. Verifique qual é o prazo que você tem e de quanto precisará para colocar seu projeto em prática. Tendo essas informações em mãos, ficará mais fácil escolher o tipo de investimento a ser feito.

2. Estude o mercado

Para entrar no mercado de trabalho, você precisa ter uma profissão antes, certo? A mesma lógica é válida quando o assunto envolve suas finanças. Antes de aplicar o dinheiro, é fundamental estudar as possibilidades.

Você não precisa ser um economista. Hoje, há informações acessíveis e especialistas disponíveis que ajudam a entender como esse mercado funciona. O importante é aprender o máximo que puder sobre o assunto, sempre por meio de fontes confiáveis.

3. Descubra que tipo de investidor é você

Saber qual é seu perfil enquanto investidor é fundamental para fazer a escolha correta. Confira quais são os perfis existentes em qual você se encaixa.

Conservador

Esse tipo de investidor busca segurança acima de tudo. Sendo assim, seu objetivo é fazer investimentos que tragam garantias e previsibilidade, mesmo que a rentabilidade seja comprometida.

Trata-se de investidores que geralmente têm pouco conhecimento sobre o mercado financeiro e, por isso, preferem ficar em uma zona mais segura. Como escolhem opções mais tradicionais, a poupança é uma alternativa para os mais conservadores dentro do grupo.

Tesouro Direto, Letras de Câmbio e Previdência Privada também estão entre as possibilidades de investimento a longo prazo dentro desse perfil. Outra opção é a compra de imóvel. O investidor com perfil mais conservador gosta de comprar imóveis para alugar e, assim, garantir uma renda fixa para sempre. Se algo fugir do planejado, ainda há a chance de vender a propriedade e ter o dinheiro na mão.

Moderado

Assim como o conservador, o investidor moderado busca segurança e liquidez. Em parte de seu investimento, porém, ele consegue abrir mão das garantias almejadas em troca de uma rentabilidade melhor.

Com essa tolerância ampliada, o risco do investimento é elevado, mas ainda assim a pessoa precisa se sentir segura. Por isso, investidores moderados, apesar de ainda preferirem a renda fixa, aproveitam condições flutuantes (como a taxa de juros).

A Bolsa de Valores já passa a ser considerada pelos investidores moderados, mas com certa precaução. Mais uma vez, investir em imóveis é uma alternativa. Isso porque tal perfil sabe que o imóvel é um investimento seguro e, mesmo que haja uma crise no mercado, depois ele conseguirá a rentabilidade desejada. Afinal, isso foi exatamente o que aconteceu depois da crise de 2008.

Agressivo

O investidor agressivo é aquele tipo de pessoa que adora correr riscos. Ele está disposto a colocar seu dinheiro em opções com menos garantias, tudo em prol da alta rentabilidade.

Mas se engana quem pensa que esse perfil depende de sorte para lucrar. O risco é sempre calculado e avaliado. O investidor agressivo tem bastante conhecimento sobre o mercado financeiro e adora investir na Bolsa de Valores.

Adquirir imóveis na planta também é uma opção. Tal tipo de investidor costuma comprar à vista a um preço mais baixo. É verdade que não há liquidez nesse investimento, mas a rentabilidade compensa ao final.

4. Considere financiar um imóvel

Como vimos, o imóvel é uma boa alternativa para qualquer perfil de investidor — principalmente quando se trata de investimento a longo prazo, já que você poderá esperar no caso de uma oscilação no mercado. Além disso, investir em imóvel significa pensar no futuro da família.

O financiamento de imóvel é um ótimo investimento. As taxas de juros já são menores do que as de outras linhas de crédito no mercado, sem contar que o custo do financiamento imobiliário incide apenas sobre o saldo devedor. Como todo mês ele é amortizado, os juros acabam ficando menores.

Quem financia um imóvel ainda tem muitas opções. É possível morar nele, esperar a valorização do bairro para vendê-lo e ter mais rentabilidade, alugar e contar com uma renda fixa etc.

Enfim, com planejamento e estudando bem o mercado a partir do seu perfil, você pode fazer um excelente investimento a longo prazo. Quer mais dicas sobre como investir seu dinheiro? Siga-nos nas redes sociais. Estamos no Twitter, YouTube e Facebook.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *