Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Quanto devo guardar por mês para comprar um apartamento?

Quanto devo guardar por mês para comprar um apartamento?

Conquistar a casa própria é um passo que transforma a vida de qualquer família. Não por acaso esse é um dos maiores sonhos dos brasileiros. Embora muitas vezes essa transformação pareça difícil de alcançar, na verdade, ela é perfeitamente possível se você tiver disciplina e otimismo. Normalmente, a primeira pergunta que fazemos é: “quanto devo guardar por mês?”.

Sabendo quanto devemos guardar por mês, conseguimos começar a organização das finanças para criar um planejamento para conquistar esse sonho. Assim, já estamos mais perto de conquistar o sonho da casa própria! Por isso essa é uma pergunta muito importante.

Para te ajudar, trouxemos um exemplo prático e preparamos algumas dicas valiosas para sua organização financeira.

Ao final deste conteúdo, você terá informações para entender o valor ideal a se guardar por mês e como cuidar desse dinheiro! Continue a leitura e dê o primeiro passo para uma verdadeira transformação!

Como calcular quanto devo guardar por mês?

A maioria das pessoas acredita que conquistar o sonho da casa própria é algo difícil, pois pensam somente no valor final do imóvel. Realmente, pensando em imóveis na faixa de R$ 250 mil ou até R$ 500 mil, não podemos dizer que é um valor baixo. Porém, dificilmente as pessoas pagam o valor de um imóvel à vista.

Cada vez mais brasileiros conquistam suas casas através de financiamentos de longo prazo. Assim, não é preciso juntar previamente todo o valor do imóvel. Hoje, para dar entrada em um financiamento, e em pouco tempo mudar para o apartamento ou casa nova, é preciso ter 20% do valor total do imóvel, mais uma reserva para arcar com os custos da documentação.

Vamos ilustrar a situação com um exemplo de simulação. Imagine que o imóvel desejado custe R$ 250 mil e o prazo para quitar o financiamento, 30 anos. 20% do valor de entrada representa R$ 50 mil. Com uma taxa de juros de 6,99% ao ano e com a primeira parcela fixada em R$ 1.720,56, a renda mensal bruta recomendada para fazer esse financiamento seria de aproximadamente R$ 5.735,00.

Assim, para conseguir o valor de 20% de entrada, tendo como média a renda do exemplo acima, o recomendado é guardar 30% da renda mensal. Esse valor é tido como referência para todo educador de planejamento financeiro como o ideal para se guardar mensalmente durante a vida adulta, especialmente para os que desejam conquistar a casa própria.

Portanto, considerando o valor de R$ 5.735 para renda bruta mensal, 30% disso é igual R$ 1.720,50, que é equivalente ao valor da primeira parcela. Considerando que você está partindo do zero, se guardar esse valor mensalmente, em 2 anos e meio você já terá os 20% necessários para dar entrada no imóvel desejado. 

Como economizar para conquistar a casa própria?

Como economizar para conquistar a casa própria?

Começar economizando uma percentagem equivalente à primeira parcela é ainda uma forma de adequar seu estilo de vida e gastos à realidade do financiamento nos próximos anos. Mas, para realmente se preparar para uma transformação e conquistar a casa própria, outras práticas de organização das finanças para economizar e guardar ainda mais por mês são recomendadas.

A seguir, fizemos uma seleção daquelas que mais ajudam na busca do sonho de ser dono da sua própria casa. Acompanhe!

Organize as finanças

O primeiro e mais importante passo de qualquer planejamento financeiro é conhecer a fundo suas finanças e organizá-las de forma racional. Para isso, é muito útil criar uma planilha de controle de gastos onde você pode facilmente identificar despesas mensais fixas, despesas variáveis e dívidas.

Ao organizar suas finanças em uma planilha, você precisa explorar todos os detalhes ao máximo. Nesse momento, as despesas variáveis devem ser o seu principal alvo. Por isso, não se esqueça de incluir todos os gastos possíveis, mesmo aqueles que parecem irrisórios, por exemplo, aquela compra pequena na padaria. Assim, fica mais fácil identificar quais despesas podem ser cortadas ou reduzidas. 

Resolva as dívidas pendentes

Quando nossa preocupação é “quanto devo guardar por mês?”, um dos maiores vilões são as dívidas que já temos. Desse modo, antes de querer poupar 30% da sua renda mensal, é altamente recomendável quitar outras dívidas que comprometem o orçamento familiar. 

Principalmente as dívidas de cartões de crédito, devido às altas taxas de juros, podem virar verdadeiras bolas de neve que nos impedem de guardar um valor razoável para conquistar nossos sonhos. Nosso conselho é: não pague o valor mínimo da dívida do cartão, pois os juros são muito altos. 

Se concentre primeiro em quitar essa pendência para ganhar maior flexibilidade em economizar uma parte da sua renda mensal. Então, tente quitar a dívida o mais rápido que puder, elimine todos os gastos que dão origem a esse tipo de dívida e, se possível, aposente o cartão de crédito. 

Invista o valor poupado

Todo valor que você conseguir economizar mensalmente deve ser poupado e aplicado em investimentos seguros. Investindo o valor economizado mês a mês, além de garantir que dentro de alguns meses você poderá dar início ao seu sonho, o rendimento pode diminuir o tempo de espera para dar a entrada.

O tipo de investimento mais seguro e conhecido dos brasileiros é a poupança. No entanto, ele nem sempre é o mais vantajoso. Hoje, existem outros investimentos tão seguros quanto a poupança e quem rendem consideravelmente mais, são os investimentos em renda fixa. Eles contam com diversas modalidades com liquidez diária ou prefixadas em diferentes prazos determinados pelo banco. 

Poupe para despesas adicionais

Muitas vezes ao planejar o financiamento da casa própria e se preparar para essa grande mudança positiva, as pessoas se esquecem de outros gastos que devem ser considerados. As despesas com a mudança, escritura e documentação também precisam ser consideradas no seu planejamento financeiro.

Além das mudanças e dos documentos do banco, em alguns casos é importante lembrar do valor a ser cobrado de ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) e também dos custos cobrados no cartório. Outras variáveis, como custo de vida da região onde se vai morar, novo deslocamento para trabalho ou escola dos filhos, entre outros, também podem ser considerados para um planejamento mais preciso.

Aproveitando que falamos hoje sobre quanto você deve guardar por mês para comprar um apartamento, sugerimos a leitura de mais este conteúdo: “Vale a pena comprar um imóvel em 2020?

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *