Quanto posso financiar com minha renda? Descubra agora!

Quanto posso financiar com minha renda? Descubra agora!

Sem dúvida, sair do aluguel é o sonho de muitos brasileiros. Porém, quando se pensa em comprar um imóvel, surge a primeira dúvida: quanto posso financiar com minha renda?

São muitos os fatores que devem ser considerados nessa hora, como as taxas de juros, as exigências dos bancos, se o imóvel será comprado por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), além da própria renda do comprador, claro.

A partir da análise desses fatores, é possível saber quanto do valor do imóvel é possível financiar. Ficou interessado? Então, siga a leitura do post e descubra como, no seu caso, fazer esse cálculo.

Por que financiar um imóvel?

O financiamento é um recurso cada vez mais procurado, já que possibilita que mesmo aquelas pessoas que ainda não contam com dinheiro suficiente para comprar um imóvel à vista consigam realizar o sonho da casa própria.

Ele, na verdade, é um empréstimo. A instituição financeira paga à construtora ou ao proprietário do imóvel a quantia que o interessado quer financiar. Para saldar essa dívida, o comprador assume parcelas mensais, que podem ser pagas, geralmente, em até 30 anos.

Cada banco oferece condições específicas para o financiamento imobiliário. Por isso, é importante estar atento a alguns itens, como:

  • duração do contrato;
  • facilidades de pagamento;
  • limite permitido do valor do imóvel que será financiado;
  • taxa de juros.

Quais são as exigências para contratar um financiamento?

As exigências dos bancos para conceder financiamento também variam bastante, mas, de maneira geral, elas diminuíram. Isso se deve, principalmente, à recente redução da taxa básica de juros, a Selic.

Aliás, essa queda também diminuiu os juros do próprio financiamento imobiliário, aumentando o poder de compra do brasileiro. A Selic, no início de 2020, alcançou sua mínima histórica de baixa, chegando aos 4,5% ao ano, com previsão de baixar ainda mais.

Nesse cenário, os bancos têm ampliado o limite do valor que pode ser parcelado. Muitos já financiam até 90% do total quando o contrato é feito dentro da modalidade SAC (Sistema de Amortização Constante) — nesse caso, as prestações são maiores no início e vão diminuindo ao longo do tempo.

Vale ressaltar que, quando se pode financiar 90% do valor do imóvel, o comprador é beneficiado, já que terá a possibilidade de pagar uma entrada menor.

A Caixa Econômica Federal é um exemplo de banco que financia até 90% do valor. Para tanto, é fundamental que o imóvel de interesse esteja enquadrado no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com preço de até R$ 1,5 milhão. Além disso, o comprador não pode possuir outros imóveis.

Agora, uma outra opção de financiamento é por meio do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Nesse caso, não há limitações para valores do imóvel e é possível ter outra propriedade em seu nome. Porém, trabalhadores da iniciativa privada podem financiar até 70% do valor total. Já os funcionários públicos financiam até 80% do valor total no caso de imóveis novos e 70% se financiarem imóveis usados.

Ainda vale lembrar que, por meio do SFI, não é possível utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para a entrada ou pagamento de parcelas — a regra muda para quem opta pelo SFH. 

Qual a renda mínima para financiar um imóvel?

Qual a renda mínima para financiar um imóvel?

Não é possível falar em renda mínima para financiamento sem que se leve em consideração o valor do imóvel. Isso porque as instituições financeiras se utilizam da regra dos 30%, ou seja, o valor desembolsado mensalmente para o pagamento das prestações não pode ultrapassar 30% da renda familiar.

Portanto, essa condição vai determinar o valor do imóvel. Trata-se de uma maneira de os bancos se protegerem contra a inadimplência. Mas a boa notícia é que o cálculo é feito sobre a renda da família, contabilizando os salários de todos os moradores da casa. Isso, sem dúvida, facilita a aprovação do financiamento e possibilita um limite maior, ou seja, a compra de um imóvel mais caro.

Para saber se você conta com a renda mínima para financiar um imóvel, faça antes uma simulação, considerando o valor do imóvel, o recurso necessário para a entrada e a duração do financiamento.

Uma família com renda mensal de R$ 6 mil, por exemplo, já dispõe de renda mínima para financiar um imóvel de R$ 180 mil a R$ 220 mil, desde que pague uma entrada de até R$ 66 mil.

Além da renda mínima, outros critérios são considerados pelo banco na hora de aprovar o financiamento.

Relacionamento com a instituição financeira

Um bom relacionamento com o banco pode, até mesmo, diminuir as taxas de juros. Isso, ao final, terá um impacto sobre o valor da parcela mensal e, consequentemente, sobre a renda familiar mínima necessária. Por isso, se você é correntista ou faz com frequência transações financeiras com determinada instituição, negocie taxas de juros mais atrativas.

FGTS

O Fundo de Garantia possibilita uma entrada maior e uma consequente redução das parcelas. Assim, você não precisará comprovar uma renda tão alta. Mas, para utilizar o FGTS no financiamento da casa própria, você deve se enquadrar em determinadas regras. Confira:

  • ter, no mínimo, 3 anos de carteira assinada;
  • não ter outro financiamento no SFH;
  • não ser proprietário de outro imóvel residencial na cidade;
  • residir ou trabalhar no município onde fica o imóvel em questão.

Além disso, a casa ou apartamento precisará seguir alguns critérios, como não ter sido objeto de operação com Fundo de Garantia nos últimos 3 anos.

Enfim, a renda familiar é decisiva para saber o valor máximo de um financiamento imobiliário, mas outros pontos devem ser considerados, como valor da entrada, taxas de juros do banco, sistema financeiro etc.

O melhor é sempre fazer uma simulação e utilizar de todos os recursos disponíveis para diminuir o valor das parcelas, como o FGTS, que, ao aumentar o montante de recursos da entrada, reduz o valor das prestações, exigindo uma renda menor por parte do comprador.

Agora que a dúvida “quanto posso financiar com minha renda?” foi esclarecida, saiba quanto tempo demora para um financiamento ser aprovado.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *