Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Qual o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa?

Qual o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa?

A aquisição de uma casa própria é um desejo recorrente para a maioria das pessoas, principalmente pelo incrível número de benefícios que isso traz. Além da questão financeira, por não pagar mais aluguel, ainda há a segurança de ter um patrimônio. Mas e você, sabe qual o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa?

Esse é um item imprescindível na hora de fazer a simulação e antes de fechar o financiamento, uma vez que a aprovação só será efetivada se você contar com rendimentos suficientes para assegurar à instituição o pagamento das parcelas mensais. Continue lendo este conteúdo e aprenda mais sobre o tema!

Como funciona um financiamento de imóveis?

O financiamento de imóveis, como você já deve saber, nada mais é do que um tipo de empréstimo que o banco faz para quem quer adquirir uma propriedade, mas não tem recursos financeiros para fazê-lo à vista. Depois, o cliente vai pagando o que deve em prestações mensais, acrescidas de juros. Veja abaixo como funciona cada etapa.

Atendendo aos pré requisitos

O primeiro passo do financiamento de imóveis é atender a alguns pré-requisitos, até mesmo para que o banco tenha algum nível de segurança em que você arcará com as parcelas e é elegível para esse tipo de empréstimo. É indispensável, por exemplo, ser brasileiro nato ou naturalizado, com visto permanente no país. 

Também é preciso ter mais de 18 anos ou ser emancipado, além de ter a chamada capacidade civil, ou seja, não ter nenhum tipo de enfermidade mental ou falta de discernimento. O nome limpo também é imprescindível, assim como ter menos de 80 anos e 6 meses ao final do prazo de amortização e não ser proprietário de outra unidade residencial.

Fazendo uma ou mais simulações

Outra etapa inicial do financiamento de imóveis é fazer uma simulação, algo que pode ser muito útil para que você entenda se o imóvel em questão e as prestações do empréstimo cabem, efetivamente, dentro das suas finanças. Felizmente, esse é um processo rápido, que você consegue fazer com o gerente da instituição e na sua agência. 

Também existem alguns simuladores disponíveis nos próprios sites, algo que ajudar bastante nessa fase, mas que não exclui a possibilidade de comparecimento pessoal no banco. Não hesite em pesquisar bastante, de forma que seja viável buscar pela alternativa que oferecerá as melhores condições para o seu bolso!

A preparação para o financiamento

Você cumpriu todos os requisitos, fez as simulações e escolheu a opção mais interessante. Agora, é hora de partir para a preparação do financiamento propriamente dito, separando toda a documentação necessária e escolhendo o sistema que melhor se enquadra no seu perfil, algo que também é visto nos simuladores.

Para agilizar, você deve adiantar a sua papelada, visto que alguns itens são, invariavelmente, solicitados para a futura aprovação. Entre eles, estão o RG e o CPF, certidão de nascimento ou de matrimônio, caso você seja casado, além de certidões negativas de débitos relativos às esferas municipais, estaduais e federais. 

Avaliando a situação do imóvel

Um ponto que poucas pessoas sabem sobre o funcionamento do financiamento de imóveis é que a instituição bancária que oferece o crédito designa um profissional especializado para saber se a unidade está com um preço condizente com o praticado no mercado, bem como se dispõe de condições adequadas de habitabilidade.

Para ser financiado, é preciso que a propriedade esteja plenamente regular, livre de pendências judiciais e devidamente registrada no Cartório de Registro de Imóveis (CRI) do seu município. Afinal, nenhum banco vai alocar um recurso tão importante em uma casa ou apartamento que esteja com problemas com a nossa lei.

Assinatura do contrato

Por fim, a última etapa antes de preparar a mudança e ir para o seu imóvel próprio é a assinatura do contrato. É a parte derradeira do processo e, feito isso, você arcará com a entrada e começará, posteriormente, a pagar as prestações mensais. Como dissemos, é preciso que toda a documentação esteja em dia e seja apresentada.

A análise técnica das condições costuma demorar em torno de 30 dias e há também o pedido do seguro habitacional, obrigatório para qualquer financiamento e que traz mais segurança para todas as partes, no caso de algum imprevisto. É preciso conferir todos os dados e fazer o registro rapidamente, tão logo seja possível.

Afinal, qual é o valor mínimo financiado pela Caixa?

Afinal, qual é o valor mínimo financiado pela Caixa?

Na maioria das vezes, quando pensamos em um valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa Econômica Federal, que é, historicamente, o maior fornecedor de crédito imobiliário do país, estamos nos referindo às prestações, que estão diretamente relacionadas com a renda da pessoa que está solicitando o empréstimo.

Entretanto, existe um limite estabelecido como piso, fazendo com que imóveis com preço inferiores a esse não estejam aptos a serem financiados dentro do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). Ele era de 100 mil reais, mas houve uma mudança e ele foi reduzido para 80 mil reais, incluindo unidades novas e usadas.

Qual o valor de entrada para financiar um imóvel pela Caixa?

Outro tema muito recorrente é o montante mínimo para ser dado como entrada no financiamento. Esse é um valor que varia de uma instituição para a outra, sendo que a alíquota de 30% é a mais recorrente entre a maioria dos bancos. Entretanto, na Caixa, a entrada mínima para a aquisição de uma casa ou apartamento é de 10%.

Como o valor de entrada para financiar um imóvel é definido?

Como dissemos acima, o valor da entrada é variável e isso depende de muitos fatores, sobretudo a renda do requerente e a sua participação em programas habitacionais. Caso você seja elegível para a faixa mais baixa do Minha Casa Minha Vida, por exemplo, é possível dar uma entrada de 10%, que ainda pode ser parcelada.

Não conseguindo esse tipo de subsídio, o mais comum é que você pague 30%, percentual tradicional na maioria dos bancos e instituições financeiras. Vale ressaltar que, no caso de um imóvel na planta, existem condições específicas, já que a construtora lida diretamente com o comprador e pode proporcionar ótimas opções de pagamento.

O que é necessário para financiar um imóvel pela Caixa?

Para financiar pela Caixa, você precisa vencer algumas etapas. O primeiro passo é fazer uma simulação do financiamento e entender qual é a melhor opção para a sua situação. Depois, você fará um pequeno cadastro, levando toda a documentação que solicitada pela instituição e aguardando a aprovação e a análise de crédito. Por fim, é feita a avaliação do imóvel e a assinatura do contrato.

Qual a renda mínima para financiar um imóvel pela Caixa?

Qual a renda mínima para financiar um imóvel pela Caixa?

Independentemente de ser pela Caixa ou outro banco, é essencial que você tenha como comprovar os seus rendimentos, pois é a partir desses dados que se obtém ou não a sua aprovação. A renda exigida dependerá do preço do imóvel, mas o valor das prestações não poderá comprometer mais do que 30% do seu salário.

Como podemos ver, mais do que o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa, é preciso que você disponibilize os seus dados e procure se informar sobre o tema para aumentar as suas chances de conseguir a aprovação de crédito.

Como conseguir o valor para dar de entrada?

Caso você esteja achando que não conseguirá o valor para dar de entrada, existem algumas dicas úteis para que se planeje e junte essa quantia. Uma das formas mais tradicionais e comuns, certamente, é dar uma apertada no orçamento e juntar pouco a pouco na poupança até conseguir o montante necessário.

No entanto, como sabemos que o rendimento das cadernetas não anda dos melhores nos últimos tempos, outra boa estratégia é investir em alternativas seguras e ligeiramente mais rentáveis, como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Tesouro Direto ou mesmo os CDBs. Com as taxas de juros um pouco melhores, você acumula dinheiro um pouco mais rápido.

Não deixe de cogitar o uso do saldo do seu FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Vá a uma agência da Caixa e peça para consultar o saldo disponível. Para isso, você precisa levar seu RG, CPF e Carteira de Trabalho — caso tenha mais de 3 anos de contribuição e nenhum financiamento aberto, é possível usar esse recurso.

Agora você já sabe qual o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa e já tem uma ideia do quanto guardar por mês para dar a entrada e arcar com as parcelas. Analise seu orçamento, procure por uma propriedade que atenda às suas demandas e deixe o aluguel para trás, trazendo muito mais conforto, segurança e tranquilidade para a sua família.

Gostou de aprender mais sobre o valor mínimo para financiamento imobiliário pela Caixa e outros assuntos relacionados? Está querendo comprar uma propriedade, mas não está fácil juntar dinheiro para isso? Então, confira nosso outro artigo que mostra como obter a sua independência financeira!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *