Mercado imobiliário em 2019: o que você deve esperar?

Mercado imobiliário em 2019: o que você deve esperar?

Com a mudança de ano e de diversos fatores no cenário econômico e político do Brasil, os mais variados setores também devem experimentar alterações importantes, abrindo novas perspectivas para quem pensa em investir. Diante dessa realidade, saber o que devemos esperar do mercado imobiliário em 2019 pode ser muito interessante.

Embora esse seja um segmento que costuma passar melhor por crises em nosso país, o fato é que os acontecimentos recentes fizeram com que o número de vendas e de interessados em locação fosse menor do que o habitual. Confira o conteúdo a seguir e veja como deve ficar esse panorama.

O mercado imobiliário em 2019

Como dissemos, o mercado imobiliário em 2019 apresenta uma perspectiva de melhora importante, assim como praticamente todos os outros segmentos da economia brasileira. Aparentemente, o pior da crise já passou, e isso já pode ser percebido com a alta valorização da bolsa de valores no mês de janeiro, que quebrou seu recorde histórico.

Tudo isso gera um círculo virtuoso, no qual as pessoas estão mais dispostas a arriscar, comprar e alugar, ao mesmo tempo em que os bancos, construtoras e instituições financeiras passam a aumentar as suas linhas de crédito, diminuindo as exigências e facilitando a vida de quem deseja adquirir a sua casa própria.

Medidas que devem ser adotadas em 2019

Oferta de crédito mais barato

A oferta de crédito mais barato deve ser um dos principais fatores que aquecerão o mercado imobiliário em 2019. Isso é um ponto muito importante, especialmente porque surge depois de um período intenso de baixa e recessão, no qual o segmento sofreu bastante para manter o seu habitual potencial de lucratividade e valorização.

Devemos, portanto, retornar a um ciclo de alta nos próximos meses, sobretudo em função da facilidade de obter crédito nos bancos, construtoras e demais instituições financeiras. Esse processo tende a ficar cada vez mais simples e barato, até mesmo porque a taxa Selic, que funciona de base para todo o setor, deve se manter no mesmo patamar.

Essa alíquota influencia diretamente nos valores de juros cobrados em financiamentos imobiliários, em sintonia com a inflação, que também não deve superar os 3% ou 4%, o que contribui para aumentar a confiança dos investidores no novo cenário de estabilidade econômica do país.

Mudanças nas taxas de juros

As notícias boas não param por aí e a Caixa Econômica Federal, que é o maior concessor de empréstimos bancários no Brasil, vem anunciando mudanças que favorecerão o ramo. As taxas mínimas para unidades financiadas pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e pelo do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) caíram, ficando em 8,75% e 9,5%, respectivamente.

Junto com o lançamento desse benéfico pacote de medidas, a CEF disponibilizou nada menos do que R$ 20 bilhões em recursos voltados diretamente para o financiamento. Não é difícil perceber, portanto, que essa é uma quantia relevante e uma mudança de paradigmas que certamente terá reflexos benéficos no reaquecimento desse mercado.

Entradas menores para os usados

Até para quem quer apostar nos imóveis usados, as notícias são bastante positivas, e essa pode ser uma opção muito interessante para quem quer achar boas oportunidades no mercado e aproveitar, por exemplo, para adquirir unidades tradicionais e bem localizadas, mesmo que elas demandem algumas reformas pontuais.

O limite de financiamento para essa modalidade foi ampliado de 70% para 80%. Na prática, isso quer dizer que os compradores poderão dar um montante menor de entrada, o que é um tremendo facilitador de uma maneira geral. Assim, fica mais simples programar as finanças e até mesmo separar um dinheiro para deixar o lugar do seu jeito.

Os impactos dessas medidas no mercado

Aumento do número de negociações

Um dos impactos mais claros desse pacote de medidas e do potencial de recuperação da nossa economia é que, logicamente, isso produzirá um aumento no número de negociações. Os valores praticados no setor para venda e locação já estão em um patamar mais aceitável e, com um cenário melhor, a tendência é uma aceleração nas transações.

Os corretores e imobiliárias já estão se preparando para isso, assim como as próprias construtoras, que são a melhor alternativa para quem quer uma unidade moderna, sem vícios ocultos, com facilidade no pagamento e que não demande manutenção por muito tempo, como é o caso de um imóvel na planta.

Procura por unidades de temporada

A recuperação da economia também traz outra tendência importante para o mercado imobiliário em 2019, que é o aumento na procura por unidades de temporada. Com mais dinheiro no bolso e um pouco mais de confiança na economia em longo prazo, é natural que boa parte das pessoas busque novas maneiras de deixar o estresse para trás.

Isso deve desenvolver ainda mais algumas cidades litorâneas e o público pode optar por fazer um investimento e adquirir uma casa nesses locais ou simplesmente locar por um tempo. Algumas localidades turísticas brasileiras, por exemplo, já estão apresentando uma demanda grande e um imenso número de reservas.

Maior personalização de imóveis

Da mesma maneira que as pessoas estarão mais abertas para comprar imóveis e terão mais confiança para fazer investimentos em longo prazo, sobretudo em um setor tão importante e que tem um potencial imenso de valorização, elas também desejarão morar em um lugar que atenda aos anseios, necessidades e desejos da sua família.

Existem maneiras de fazer isso. É possível, por exemplo, adquirir uma unidade usada e apostar em uma reforma grande, contando com profissionais que fazem esse tipo de serviço, como arquitetos e engenheiros. A decoração também ganha espaço, com as tendências e adaptações possíveis com o home staging.

Outra opção são as unidades na planta, que não demandam obras muito grandes e já evitam alguns problemas básicos, como falhas na documentação ou vícios ocultos. Nesse caso, é possível negociar diretamente com a construtora e conseguir, por exemplo, novas cores ou até mesmo a remoção de alguma parede, caso ela não seja estrutural.

Como você pode ver, o mercado imobiliário em 2019 vem trazendo excelentes perspectivas para o Brasil. Por isso, é interessante ficar de olho nas oportunidades que estão por vir.

Gostou de aprender mais sobre o mercado imobiliário em 2019? Então confira também nosso artigo sobre como conquistar seu primeiro imóvel!

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *