Descubra agora como ser aprovado no financiamento do Minha Casa Minha Vida

Descubra agora como ser aprovado no financiamento do Minha Casa Minha Vida

O programa denominado Minha Casa, Minha Vida é uma oportunidade para que muitas famílias conquistem o sonho da casa própria por meio de um financiamento bancário com juros reduzidos.

Criado pelo Governo Federal em 2009, o seu objetivo é ampliar o direito à habitação, incentivando a população do Brasil afora a adquirir a casa dos sonhos ou o apartamento desejado a partir do oferecimento de condições mais vantajosas ao bolso de cada família.

Para se candidatar ao programa, além de enquadrar-se em uma das faixas de renda estabelecidas pelo Governo Federal, é preciso cumprir alguns pré-requisitos. É sobre isso que vamos tratar neste texto: como ser aprovado no financiamento Minha Casa, Minha Vida. Confira!

Conheça o programa Minha Casa, Minha Vida

Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve, certo? Pois bem, antes de iniciar a organização dos documentos e a procura pelo imóvel ideal, o programa Minha Casa, Minha Vida deve ser analisado e compreendido para que os próximos passos sejam traçados.

Veja, a seguir, o que faz desse programa criado pelo Governo Federal um grande estímulo à população de todas as regiões brasileiras para a compra da casa própria.

Faixas de renda

O Minha Casa, Minha Vida oferece quatro linhas de financiamento, que variam de acordo com a renda bruta do candidato. Famílias que recebem até R$ 1.800,00 precisam fazer um cadastro na prefeitura da cidade em que residem para ingressar no programa.

Quem recebe entre R$ 1.801,00 e R$ 7.000,00 (limite máximo do programa) pode solicitar o financiamento diretamente em uma construtora, em uma agência da Caixa ou em um correspondente bancário. São quatro faixas utilizadas, com base na renda bruta mensal das famílias:

  • faixa 1: oferecida para famílias com renda até R$ 1.800,00;
  • faixa 1,5: trabalha com rendas familiares entre R$ 1.800,00 e R$ 2.600,00;
  • faixa 2: destinada às famílias que se enquadrem na renda de R$ 2.600,00 até R$ 4.000,00;
  • faixa 3: oferecida para famílias que tenham uma renda de até R$ 7.000,00, e que não seja menor que R$ 4.000,00.

Essa etapa é essencial no programa Minha Casa, Minha Vida, pois é a partir do enquadramento de renda que as condições específicas são apresentadas ao solicitante, tais como o valor das taxas e juros, possíveis subsídios ou descontos em despesas cartoriais.

Calcule a sua renda bruta e a renda de sua família — família, aqui, significando o núcleo de pessoas que convive sob o mesmo teto — para conhecer as condições do programa para o seu bolso.

Taxas e juros

A partir de cada faixa de renda apresentada, o programa oferece diferentes taxas e juros para a quitação da dívida: vale lembrar que, como o financiamento imobiliário funciona como um empréstimo, será cobrado um acréscimo de taxas e juros na hora do pagamento das parcelas, sendo esse um procedimento comum.

É importante ressaltar, no entanto, que essa cobrança é variável. No programa Minha Casa, Minha Vida, famílias com menores rendas mensais pagam menores valores a título de taxas e juros, justamente para incentivar a maior adesão da população.

Essa cobrança gira em torno de 5 a 8% nesse programa, enquanto, para outros tipos de financiamento, esse percentual sobe para 10% — em um primeiro momento pode não parecer tanta diferença, mas na hora de colocar os valores na ponta do lápis, quem sente é o bolso.

Prazo para pagamento

A maneira de pagamento do financiamento imobiliário ocorre por meio de parcelas mensais, até que ocorra a quitação do saldo devedor total. Esse prazo pode influenciar (e muito!) no valor das prestações.

No programa Minha Casa, Minha Vida o prazo limite para pagamento é de 35 anos, ou seja, 420 meses, auxiliando bastante as famílias que possuem renda de até R$ 7.000,00 e que têm interesse em parar de pagar aluguel para morar na casa própria.

Contudo, é importante ter em mente que a idade limite para pagamento da última parcela do financiamento de imóvel é de 80 anos e seis meses, e isso vale para qualquer tipo de programa. Ou seja, quanto mais velho for o solicitante, menos prazo ele terá para quitação da dívida.

Oferecimento de subsídios

O Governo Federal oferece subsídios como mais uma forma de incentivar as pessoas a comprarem um imóvel, principalmente para famílias que se enquadram na primeira faixa de renda do programa Minha Casa, Minha Vida.

Esse valor varia e pode chegar a R$ 47.500,00, ou seja, pode ser crucial para a tomada de decisão a respeito da solicitação do financiamento imobiliário. O importante, para saber se a sua família teria esse auxílio do Governo, é comparecer em uma agência financiadora e requerer informações.

Descontos nas despesas de cartório

O Minha Casa, Minha Vida foi estipulado em lei e garante certos benefícios aos participantes do programa, como a obtenção de desconto no pagamento de despesas cartoriais.

É de conhecimento de todos que as taxas cobradas pelos Cartórios de Registro de Imóveis não são baratas e que, se não forem contabilizadas logo no início da conta, elas podem causar transtornos a quem compra um imóvel.

Pensando nisso, o programa do Governo Federal oferece mais esse benefício, justamente para evitar que o solicitante do crédito desista do financiamento imobiliário ao encontrar outros pagamentos pelo caminho.

Mantenha o seu nome limpo

Estar com o nome sujo no mercado significa que a pessoa não conseguiu honrar algum compromisso, uma dívida ou um tributo de acordo com as condições legais e, para os bancos, isso significa que emprestar dinheiro a essa pessoa é um negócio arriscado. Se esse é o seu caso, é essencial regularizar sua situação para possibilitar a aprovação do seu cadastro.

Dívidas em lojas, pendências no Banco Central pela emissão de cheques sem fundo ou dívidas com tributos são exemplos de situações que podem sujar o seu nome. Para limpá-lo é preciso fazer uma consulta pelo seu CPF, identificar as pendências e regularizá-las.

Caso você não consiga manter seu nome limpo, suas possibilidades de ter o financiamento aprovado reduzem bastante, embora ainda seja possível obter crédito imobiliário.

Faça o Cadastro Positivo

O Cadastro Positivo é um programa oferecido pelo Serasa Experian e funciona como um registro da pontualidade do pagamento de diversas contas, tais como água, luz, crediários e outras.

Para fins de obter um financiamento imobiliário, esse registro serve para demonstrar as suas características como pagador, disponibilizando informações de seus compromissos assumidos.

Se os seus pagamentos estiverem em dia, as chances de conseguir um financiamento imobiliário aumentam, considerando que as instituições buscam clientes que cumprem as dívidas contraídas. Ainda, pessoas que não atrasam os seus pagamentos podem conseguir créditos imobiliários com juros menores.

Esteja atento à documentação exigida

Problemas com a documentação podem comprometer a aprovação do seu cadastro e desperdiçar seu esforço para financiar a casa dos sonhos. Logo, fique atento a tudo o que é exigido: basicamente, são solicitados os documentos pessoais do solicitante e os documentos do imóvel em questão. Separe e organize, desde já, os seguintes documentos:

  • RG;
  • CPF;
  • comprovante de renda;
  • declaração do Imposto de Renda com o respectivo recibo de entrega;
  • comprovante de residência;
  • Cadastro Positivo do Serasa Experian (para aqueles que tenham realizado o cadastro);
  • matrícula atualizada do imóvel;
  • Certidão Negativa do Imposto Predial e Territorial Urbano;
  • comprovante de ausência de débitos referentes ao condomínio;
  • avaliação do imóvel realizada por engenheiro credenciado ao banco.

Muito importante ressaltar que, caso o solicitante do financiamento seja casado, é necessário apresentar todos os documentos descritos acima também de seu cônjuge. E, para as famílias com renda mais baixa, é preciso disponibilizar o registro no Cadastro Único para Programas Sociais, o CadÚnico.

Não deixe para providenciar tudo de última hora! Organize a sua documentação com calma para que nada seja esquecido e, na hora de solicitar o financiamento imobiliário, a chance de o seu pedido ser concedido ser grande.

Informe-se para escolher o melhor financiamento

O financiamento de imóvel nada mais é do que um contrato, pactuado entre as partes interessadas, quais sejam, comprador e instituição financiadora. Existem condições e cláusulas gerais para todo e qualquer financiamento, mas há questões que são flexíveis e podem ser adaptadas para cada consumidor.

Por isso, a palavra de ordem nessa etapa é buscar informação. Converse com amigos e colegas que já financiaram um imóvel, compareça em agências bancárias para tirar as dúvidas com os profissionais e procure informações na internet.

Para fechar o melhor negócio, as condições precisam ser vantajosas ao seu bolso e à renda de sua família, de modo que a compra da casa própria traga apenas benefícios aos compradores envolvidos.

Tenha um bom valor de entrada

A entrada é a parcela inicial a ser paga à instituição financiadora, como forma de assegurar a compra de determinado imóvel. Como o financiamento é pago por meio de parcelas mensais, é praxe a solicitação de um valor de entrada.

No programa Minha Casa, Minha Vida, existe um percentual mínimo de 10% sobre o custo do imóvel que é calculado a título de entrada, sendo o menor percentual existente no mercado.

Para outros tipos de financiamento, o valor da entrada tem uma média de 30% sobre o preço da casa ou do apartamento a ser adquirido. Por isso, para quem não conseguiu garantir uma boa poupança e se enquadra em uma das faixas do Minha Casa, Minha Vida, esse é o programa ideal para obtenção de crédito imobiliário.

Avalie a forma mais vantajosa de usar o FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito de todo trabalhador brasileiro e ele possibilita a facilitação da obtenção do financiamento imobiliário, já que pode ser destinado ao pagamento dessa dívida.

Como esse fundo é referente a 8% do salário do empregado, em que é responsabilidade do empregador promover o seu depósito em uma conta da Caixa Econômica Federal, ele pode ser usado para amortizar ou liquidar todo o saldo devedor do funcionário que venha a solicitar crédito imobiliário pelo Minha Casa, Minha Vida.

Ele, ainda, pode ser utilizado para diminuir em até 80% o valor das prestações em até 12 meses consecutivos, auxiliando na manutenção de outros gastos que o solicitante e sua família precisem arcar. Contudo, para que a utilização do FGTS seja possível, em ambos os casos, é preciso que o empréstimo seja feito dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Realize uma simulação antes de fechar negócio

A simulação do financiamento imobiliário é uma ótima ferramenta para analisar, a partir de uma visualização palpável, as condições desse procedimento: o valor das parcelas mensais, o prazo de pagamento, as taxas e juros cobrados, entre outros.

Essa simulação pode ser feita de forma prática, nos sites das próprias instituições financiadoras, ou, também, de maneira presencial. Por isso, se você tem interesse em saber como seria o pagamento de um financiamento de imóvel, é importante realizar uma prévia.

Além de possibilitar uma melhor análise sobre as vantagens de fechar negócio, a simulação do financiamento imobiliário fornece melhores dados para a verificação do programa mais adequado para obter crédito imobiliário. Essa etapa protege e assegura o consumidor de dar o passo mais acertado.

Abra uma empresa MEI se não tiver carteira assinada

Como visto até agora, o financiamento de imóvel é concedido para pessoas que demonstram possuir renda suficiente para arcar com as parcelas mensais desse programa, justamente para que a instituição financiadora possa se assegurar quanto ao pagamento da dívida.

Por isso, trabalhadores autônomos podem ter um pouquinho mais de dificuldade na hora de demonstrar sua renda mensal. Para esses consumidores, que não tenham carteira assinada, a dica é abri uma empresa com a denominação de Microempresário Individual (MEI).

Dessa maneira, a comprovação com gastos e a renda mensal do contribuinte torna-se mais fácil de ser demonstrada e, como consequência, o financiamento imobiliário para a compra da casa dos sonhos fica mais próximo de ser obtido.

Abra uma conta na Caixa

Essa é uma medida que pode melhorar as condições do financiamento e facilitar a sua aprovação. A Caixa, assim como qualquer outro banco, costuma oferecer aos seus correntistas condições especiais de financiamento.

Isso ocorre porque, quando o banco analisa o cadastro de um cliente, ele já conhece exatamente sua capacidade de pagamento e seu histórico como pagador, melhorando suas chances de aprovação.

Além disso, como a Caixa Econômica Federal é o banco oficial do Governo Federal para financiamento habitacional — e as taxas e juros são oferecidos de forma mais vantajosa ao solicitante —, destacando-se entre os outros bancos.

Saiba que é possível escolher qualquer instituição bancária

Se, ainda assim, a Caixa não for o banco de preferência, saiba que é possível escolher qualquer outra instituição bancária para solicitar o financiamento imobiliário, mesmo dentro do programa Minha Casa, Minha Vida.

Como o financiamento de imóvel funciona como um contrato, pode ser que outros bancos ofereçam melhores vantagens ao consumidor. Por isso, a dica é colher propostas em diferentes instituições para, assim, analisar a mais adequada ao seu perfil.

Se a decisão final for, realmente, um banco que não seja a Caixa, adeque o item citado acima e abra uma conta na instituição bancária em que você deseja obter crédito imobiliário. Isso tornará mais simples a concessão do financiamento imobiliário, já que a instituição bancária terá todas as informações do consumidor de forma prévia.

Mantenha um bom relacionamento com o banco financiador

De nada adiante abrir uma conta no banco escolhido para solicitar financiamento imobiliário e não pagar as contas em dia ou utilizar uma outra conta-corrente como preferencial.

A ideia de buscar de forma prévia a instituição bancária é, justamente, para facilitar a concessão do crédito imobiliário quando este for solicitado. Por isso, mantenha a conta aberta em movimento, passe a utilizá-la como conta preferencial e centralize os seus ganhos nela.

Para casais, uma dica é abrir uma conta conjunta e movimentá-la, depositando o dinheiro de ambos nesse canal. Lembre-se: quanto melhor for demonstrado o seu bom histórico com dinheiro, mais facilmente será concedido o financiamento imobiliário.

Solicite o financiamento imobiliário e aguarde

Depois de cumprir todas as etapas acima, é chegado o momento de solicitar o financiamento imobiliário. Nessa fase, tenha em mente que o processo de análise e uma possível aprovação do financiamento imobiliário é burocrático e, por isso, ele não é rápido.

A instituição precisa analisar toda a documentação apresentada, verificar a veracidade das informações para, então, decidir sobre a efetivação do empréstimo. Por isso, tenha paciência e não se torne um cliente insistente: aguarde, com calma, a resposta da instituição financiadora escolhida.

Depois de uma resposta positiva, basta assinar o contrato e comemorar: o sonho da casa própria chegou! Caso contrário, vale conversar com a instituição bancária e analisar a sua motivação. Às vezes, a negativa se deu por um simples problema documental que pode ser desfeito para, então, tentar a segunda vez. Não desista e siga, novamente, o nosso passo a passo!

As etapas de como ser aprovado no financiamento do programa Minha Casa, Minha Vida não são poucas, em contrapartida, elas não são complicadas de serem realizadas. Por isso, antes de iniciar o processo de solicitar crédito imobiliário, conheça mais sobre o programa, organize toda a documentação e tenha em mente sobre a necessidade de demonstrar um bom histórico como pagador. Anote nossas dicas e boa sorte!

Você gostaria de saber mais a respeito do processo de obtenção de um financiamento imobiliário e tudo que envolve a aquisição da sua casa dos sonhos? Então contate-nos! Ficaremos felizes em responder a sua solicitação.

Faça seu cadastro e receba tudo por email!

Confira também

7 comentários em “Descubra agora como ser aprovado no financiamento do Minha Casa Minha Vida”

  1. Eldina Silva Rodrigues disse:

    Qual o valor mínimo que tenho que da de entrada para comprar um apartamento no valor de 240/300 mil reais ?

    1. Ana Paula disse:

      A entrada é de, no mínimo, 1,5% do valor do imóvel.

  2. Ana paula disse:

    Meu score e de 50 consigo compra,minha renda e boa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *